Author Archives: Diga Não à Leishmaniose

Cachorro sozinho em casa? Veja dicas para amenizar o tempo solo dele.

Dicas para deixar seu cachorro sozinho em casa

Atitudes importantes pro seu cachorro não sofrer

Você pode adotar hábitos para diminuir a ansiedade da separação quando seu cachorro vai ficar sozinho em casa durante muito tempo. Cães que não conseguem ficar sozinhos entram em depressão, procuram ocupar o tempo destruindo móveis e objetos e fazem besteiras para chamar a atenção.

cachorro sozinho em casa

Se o cachorro ficar sozinho esporadicamente, ele não vai chegar a se acostumar mal com a sua ausência. As dicas deste post são para o caso de os tutores trabalharem fora e o cachorro precisar se adaptar a uma rotina onde ele terá que ficar sozinho durante um longo período.

1 – NUNCA diga “tchau”, dê beijos, fale fininho… Isso significa (para ele) que existe alguma situação que está te incomodando, te fazendo sofrer. Consequentemente ele fica angustiado e poderá chorar, latir, se auto-mutilar, etc. Quando for sair, simplesmente vire as costas e saia. Sem despedidas, sem voltas (para dar uma “espiadinha”), sem dó. Quanto mais “normal” parecer a situação, mais rápido ele se acostuma a ela.

2 – Quando voltar espere um pouco para fazer “festinhas”. Caso abra a porta já passando a mão nele, fazendo carinho e pegando no colo, ele ficará te esperando todos os dias, muito ansioso por sua volta. Chegue em casa, troque de roupa, aja normalmente e só aí faça festinha pro seu cão. É tentador, mas você estará fazendo o melhor pra ele.

3 – Deixe brinquedos para mastigar, bolinhas e petiscos escondidos. Existem brinquedos inteligentes que fazem com que ele tenha o que fazer por algum tempo. Deixe dois ou três brinquedos “especiais” guardados. Esses brinquedos nunca ficarão à disposição dele o tempo todo. São brinquedos que você brinca com ele, estimula bastante e quando ele estiver doidinho pelo objeto, você guarda. Esses brinquedos servem também para ajudar nessas horas de solidão prolongada. Você também pode adaptar, pegar uma garrafa pet, colocar petiscos que ele adore dentro, vedar bem e fazer furos mínimos pela garrafa.

4 – Se puder, deixe uma camiseta sua com ele. Seu cheiro faz com que ele não se sinta tão sozinho.

5 – Cuidado com coisas como brinquedos que soltam partes, pelúcia, ossos, etc. Caso ele engasgue com um pedaço, você não estará perto para ajudar. Tire também fios e objetos quebráveis. Desligue equipamentos eletrônicos das tomadas para o caso dele mastigar. O ideal é que você delimite um espaço, assim você diminui os riscos de ele se machucar. Por exemplo, fechar as portas dos banheiros, quarto de hóspedes, enfim.

6 – Caso seja filhote, ele deve ficar preso em uma área restrita enquanto não estiver habituado com a nova casa, com a rotina de ficar sozinho e com as necessidades no jornal ou tapetinho.

Quer sugerir uma pauta? Manda e mail para marlipress@gmail.com 

Lambeijos em todos!!

Marli

 

Tagged , , , , , , ,

Câmara aprova a LEI para transporte de animais

“Lei Joca”: transporte de animais em cabine de avião é aprovada pela Câmara

 cão joca e tutor (1)

Após o episódio fatídico, que levou a morte do cão da raça golden retriever,  Joca,  e com a mobilização que houve, o assunto foi levado discutido entre os deputados em Brasília,  para que se torne LEI e possamos levar nossos companheiros de 4 patas, junto a nós nas viagens.

A Câmara aprovou, o projeto de lei que determina às companhias aéreas que oferecem o serviço de transporte de cães e gatos a colocá-los dentro da cabine de passageiros em voos domésticos, que está sendo chamada de “Lei Joca”.

Agora, a matéria será enviada ao Senado.

De acordo com o texto do relator, deputado Fred Costa (PRD-MG), a empresa aérea poderá se negar a realizar o transporte em caso de risco à saúde do animal, de segurança e de restrições operacionais.

Foi citado pelo deputado o cão Joca,  que foi devolvido morto ao seu tutor em 22 de abril após transporte aéreo realizado pela Gol Linhas Aéreas.

O cachorro seguiria, inicialmente, de Guarulhos até o aeroporto de Sinop, no Mato Grosso, mas foi transportado, por engano, até Fortaleza, no Ceará.

Estamos todos aqui torcendo para que a Lei seja aprovada e tudo fique bem. Alguém sempre tem que ser sacrificado para que outros se salvem!!!

Tagged , , , , , ,

CACHORRO LAMBENDO A PATA

 CAUSAS, PREOCUPAÇÕES E CUIDADOS

 Cachorro-lambendo-pata-o-que-isso-indica (1)

Se você é um amante de cachorros, já deve ter visto seu amigo de quatro patas lambendo as patas em algum momento. Embora isso possa parecer uma atividade comum para os cães, pode ser um sinal de problema!

Neste artigo, vamos explorar por que os cachorros lambem suas patas, as possíveis causas por trás desse comportamento e o que você deve fazer se notar seu peludo amigo fazendo isso com frequência.

Por que os Cachorros Lambem Suas Patas?

Os cachorros têm muitas maneiras de se comunicar conosco, e uma delas é através de suas ações. Lamber as patas é uma dessas ações, e pode haver várias razões por trás desse comportamento.

5 Razões do Porquê os Cachorros Lambem as Patas

1. Limpeza Pessoal

Assim como os gatos, os cachorros são criaturas extremamente limpas. Lambendo suas patas, eles podem estar realizando uma espécie de “banho” pessoal para se livrar da sujeira, poeira ou restos de comida que podem ter se acumulado em suas patas durante suas aventuras diárias.

2. Alívio de Coceira

Uma das razões mais comuns para um cachorro lamber suas patas é a coceira. Pode ser causada por uma variedade de fatores, como alergia a alimentos, alérgenos ambientais, picadas de insetos ou irritações na pele. Lambendo as patas, eles tentam aliviar o desconforto.

3. Ansiedade e Estresse

Os cachorros também podem lamber suas patas como um meio de lidar com o estresse e a ansiedade. Assim como as pessoas roem as unhas quando estão nervosas, os cães podem lamber suas patas como uma forma de automedicação para acalmar seus nervos.

4. Lesões ou Dor

Se o seu cachorro está lambendo uma pata específica com frequência, pode ser um sinal de que há algo errado com essa pata. Lesões, dor nas articulações ou entorses podem levar um cachorro a lamber constantemente uma área dolorida em busca de alívio.

5. Tédio e Tensão Mental

Cachorros são animais inteligentes e precisam de estímulos mentais e físicos para se manterem saudáveis e felizes. Se eles não recebem a quantidade adequada de exercício e estímulo mental, podem ficar entediados e começar a lamber suas patas como uma forma de passar o tempo.

Lambedura Excessiva

Se o seu cachorro está lambendo suas patas constantemente, a ponto de causar irritação na pele ou feridas, isso é um sinal claro de que algo não está bem. É importante investigar a causa subjacente.

Mudanças de Comportamento

Se o comportamento de lamber as patas é acompanhado por mudanças no apetite, sono ou atividade, pode indicar que seu cachorro não está se sentindo bem e precisa de atenção veterinária.

Inchaço ou Feridas

Qualquer inchaço, ferida, ou mudança visível na aparência das patas do seu cachorro deve ser examinada por um médico veterinário. Pois pode indicar uma lesão ou infecção que precise de tratamento imediato.

Mantenha as Patas Limpas

Se a lambida nas patas for devido à sujeira, certifique-se de manter as patas do seu cachorro limpas e secas. Isso pode ajudar a reduzir a necessidade de lambedura excessiva.

Elimine Possíveis Alergias

Se a alergia for a causa, seu médico veterinário pode recomendar uma mudança na dieta ou o uso de medicamentos para aliviar os sintomas alérgicos.

Proporcione Estímulos Mentais e Físicos

Para cachorros entediados, é importante proporcionar estimulação mental e física adequada. Passeie com seu cachorro regularmente, ofereça brinquedos interativos e desafios mentais para mantê-lo ocupado.

Considere a Ajuda de um Comportamentalista Canino

Se a lambedura for resultado de estresse ou ansiedade, um comportamentalista canino pode ajudar a identificar e abordar os problemas subjacentes de comportamento.

Os cachorros lambendo suas patas podem ser uma visão comum, mas é essencial prestar atenção quando esse comportamento se torna excessivo ou está associado a outros sintomas. Pode ser um sinal de que algo está errado e que seu peludo amigo precisa de cuidados adicionais.

Sempre consulte um médico veterinário para avaliar cada situação e garantir a saúde e o bem-estar do seu cachorro. Com os cuidados adequados, você pode garantir que seu companheiro canino tenha uma vida feliz e saudável.

Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Trumas em animais após resgate

Chuvas no Rio Grande do Sul: traumas em animais após resgate podem ser tratados com amor, diz especialista

 
Após horas ou até dias em situação de desespero depois das fortes chuvas no Rio Grande do Sul, o que fica para muitos animais é algum nível de trauma. É o que mostram, pelo menos, alguns vídeos que viralizaram nas mídias sociais, nos quais cães e outros bichos aparecem fazendo movimento de nado mesmo não estando na água.
Em outros registros, cachorros podem ser vistos sobre o teto de suas casinhas, em abrigos — uma repetição da cena muitas vezes vista no estado, quando animais, sem terem para onde ir em meio à inundação, ficaram em cima de telhados.
O amor dos tutores, nesse sentido, é fundamental para a total recuperação dos bichos. O abrigo precisa dar, dentro do possível, tranquilidade para os animais, além de espaço para que possam exercer suas características naturais. Isso é bem estar, garantindo que fiquem livres de fome e sede que os marcaram o período anterior. Mas só o tempo pode curar. É claro que a presença do tutor ou do responsável junto ao animal é fundamental porque ali existe uma relação de empatia, confiança e, sobretudo, amor. 
Especialista em comportamento animal, Adroaldo Zanella acrescenta que a duração das sequelas do “evento traumático”, pode depender da “idade do indivíduo, características individuais de resiliência e atenção” que o animal recebeu após aquela situação.Ele afirma ainda que animais correm um risco maior de trauma no comparativo com seres humanos: O risco de traumas em animais é potencialmente maior porque eles não processam informações que possam motivar a espera. O processo cognitivo dos animais é avançado, mas eles vão operar com informações pontuais. Não vão manter expectativas de resgate baseada em ações humanas. Eles não têm nem a paz que as pessoas têm a partir de crenças religiosas para ajudar. 
Um dos vídeos que se tornou viral é o compartilhado nas mídias sociais pela dentista Camila Heluany, que está atuando como voluntária no resgate e cuidado com animais em Canoas (RS). Nas imagens, o cachorro aparece movimentando as patas como se estivesse nadando.
Além dos pets, os animais de grande porte, também foram muito resilientes nessa tragédia do sul, o mais conhecido deles, foi o CAVALO CARAMELO, que ficou dias na mesma posição e foi resgatado pelo corpo de bombeiros de SP e 2 veterinário, um deles do sul. Verdadeiros heróis, os de 4 patas e os de pés!! Parabéns a todos os voluntários que se dispuseram em ajudar. Agradeço em nome da coluna e de toda a equipe e leitores do nosso site.

Projeto Pacotinho de Amor estará com seus pets na feirinha de adoção

WhatsApp Image 2024-04-04 at 4.03.02 PM (3) WhatsApp Image 2024-04-04 at 4.03.01 PM (1) WhatsApp Image 2024-04-04 at 4.03.01 PM WhatsApp Image 2024-04-04 at 4.03.02 PM (2)
EVENTO DE ADOÇÃO PET NO PRÓXIMO DOMINGO
 
No próximo domingo, 7 de Abril,  das 10h30 às 15h acontecerá a tradicional feirinha de adoção do PROJETO PACOTINHO DE AMOR. Dessa vez, quem receberá os pets, será a Academia Atlântida que fica no bairro da Água Rasa, próximo ao Ipiranga.
As normas para a adoção: Idade acima de 18 anos, trazer documentos e acima de tudo muito amor e a certeza da posse responsável. 
 
Essas belezinhas e outros mais, esperam por suas famílias. NÃO COMPRE, ADOTE!!!
 
7 de Abril
Das 10h30 às 15h
ACADEMIA ATLÂNTIDA 
Rua Rhone, 06 – Água Rasa – SP
 
Contato para saber mais sobre o projeto, apadrinhar e adotar
 whatsapp – 11-99489-6555 falar com Babi.


 

Tagged

Novo livro de Mauricio de Sousa e Alexandre Rossi, o Dr Pet, será lançado no próximo sábado, em São Paulo

CAPA Dr Pet - 29-02-2024

Evento será realizado na Livraria da Vila do Shopping Higienópolis, às 15h, e contará com a presença dos autores, que participarão de sessão de fotos exclusiva com o público

“Como Educar seu Cãozinho”, novo livro de Mauricio de Sousa e Alexandre Rossi – o Dr Pet – será lançado no próximo sábado, 2 de março, às 15h, na Livraria da Vila do Shopping Higienópolis, em São Paulo. Na ocasião, o público poderá participar de sessão de fotos com os autores, organizada por senha. O tempo de duração da sessão de fotos está sujeita à disponibilidade dos autores.

Sobre o livro

Ao ganhar o tão esperado amigo canino, a emoção é grande e tudo parece uma festa, mas cuidar de um cachorrinho é um grande desafio. As crianças precisam compreender que regras são necessárias para que todos na casa aproveitem ao máximo a experiência de ter um animal de estimação, sem estresse.

Para mostrar como trilhar este caminho, de forma divertida e responsável, duas grandes personalidades se juntaram: o ilustrador Mauricio de Sousa e o especialista em comportamento animal Alexandre Rossi, o Dr Pet. O livro Como educar seu cãozinho (editora Caramelo – selo da SOMOS Educação) é fruto desta união e traz os personagens da Turma da Mônica, como os adoráveis Bidu e Floquinho, para mostrar aos jovens leitores comandos eficazes e cuidados necessários aos cães, de forma que garanta a segurança e a felicidade tanto dos bichinhos quanto de seus donos.

“A ideia deste livro surgiu quando comecei a reparar que muitas crianças vinham falar comigo nos eventos e comentavam nas minhas lives”, conta Alexandre Rossi. “Elas se mostram sempre muito interessadas em entender melhor os seus pets e ensinar truques, o que é excelente, porque a ciência já provou que essa relação traz inúmeros benefícios para ambos. Eu já estava produzindo conteúdo em minhas redes voltado para as crianças, mas faltava algo mais didático e lúdico”, diz Rossi.

Permeado por ilustrações da Turma da Mônica, que explicam as situações corriqueiras no convívio com os pets, o livro traz, em detalhes, dicas para educar com eficácia. Com linguagem simples e direta, a obra mostra como estabelecer regras claras, ensiná-las com gentileza e recompensar o pet pelos comportamentos corretos. Além disso, o livro explica como utilizar objetos de treinamento, como o clicker (aparelho de adestramento que funciona com um botão de comando).

Segundo Mônica Sousa, diretora-executiva da Mauricio de Sousa Produções e tutora de Feijão, Farofinha, Fiapo, Joãozinho, Clone e Panterinha, a parceria com Alexandre Rossi contribui na construção de futuros pais e mães de pet cada vez mais responsáveis: “É fundamental que as crianças sejam orientadas, com muito amor e de forma didática, sobre o fato de que os animais de estimação precisam de carinho e cuidados diários e representam uma responsabilidade assumida ao longo de anos. Os peludos são ótimos companheiros e, ao chegarem em uma família, só trazem ainda mais alegria e ensinamentos sobre amor incondicional”, destaca.

“O livro Como Educar seu cãozinho, escrito pelo Dr Pet Alexandre Rossi e ilustrado pelo nosso estúdio, já está fazendo história. As dicas são essenciais para fazer seu pet feliz, assim como servem para ensiná-lo comportamentos de interação com seus tutores. Eu tenho o Bidu como personagem que está no logotipo de nosso estúdio. E não é por acaso!”, enfatiza Mauricio de Sousa.

“Lembre-se: você e sua família são a matilha de seu cãozinho. Por isso, a melhor forma de ensiná-lo é mostrar que ele tem um ambiente seguro”, alertam os autores na conclusão do livro. Um ótimo presente para quem acaba de ganhar um animalzinho.

Sobre os autores:

Mauricio de Sousa nasceu em Santa Isabel (SP), em 27 de outubro de 1935, e passou a infância em Mogi das Cruzes. Aos 19, mudou-se para São Paulo e trabalhou na Folha da Manhã (hoje Folha de S. Paulo) como repórter policial. Em 1959, criou o primeiro personagem – o cãozinho Bidu, iniciando a carreira como autor de quadrinhos. Nos anos seguintes, criou mais de 400 personagens — Mônica, Cebolinha, Magali, Cascão, Chico Bento, Horácio, entre outros, até que, em 1970, lançou a revista da Mônica. Desde então alcançou mais de 1 bilhão de revistas publicadas até hoje, chegando a mais de 30 países. Aos quadrinhos, se juntam centenas de livros ilustrados. Seus personagens foram para parques, shows ao vivo e animações além de milhares de produtos. Hoje tem o maior estúdio de quadrinhos do continente. É considerado o maior formador de leitores do país. Recebeu do UNICEF o título de escritor para crianças e, em 2007, a personagem, Mônica, que completa 60 anos em 2023, tornou-se embaixadora do UNICEF.

Alexandre Rossi, conhecido como Dr Pet, é especialista em comportamento animal (Universidade de Queensland), Zootecnista e Mestre em Psicologia (USP), além de médico-veterinário (FMU). É também membro do Conselho de Bem-Estar Animal do CRMV-SP e da Associationof Professional DogTrainers (APDT). Ao longo de sua carreira, trabalhou e desenvolveu pesquisas sobre pets e outros animais em diversos países. No Brasil, criou o método Adestramento Inteligente e fundou a Cão Cidadão, maior franquia de adestramento da América Latina, hoje parte do ecossistema Petz. Paralelamente, apresentou diversos quadros na TV, como o Dr Pet (exibido no Domingo Espetacular, na TV Record). Atualmente, apresenta o quadro Encontro Pet, no Encontro com Patrícia Poeta, da TV Globo. O Dr Pet ainda ministra palestras, marca presença em eventos relacionados a comportamento animal, além de ser autor de sete livros e diversos cursos de adestramento. Mas ele não faz isso sozinho! Junto com seus “filhos peludos”, Barthô, Bruno e a gatinha Miah (sem esquecer da querida Estopinha, que faleceu recentemente!), ele é uma grande referência no assunto, seja divulgando conhecimento científico ou dicas mais descontraídas aos tutores.

Serviço:

Lançamento do livro Como educar seu cãozinho

Local: Livraria da Vila – Shopping Pátio Higienópolis – Piso Pacaembu. (Av. Higienópolis, 618 – São Paulo/SP).

Data: 2 de março (sábado)

Horário: 15h

Sobre a unidade de Literatura da SOMOS Educação – Com mais de 1,6 mil obras em seu catálogo e mais de 500 autores nacionais e estrangeiros, de diversos gêneros literários, a área de Literatura da SOMOS Educação reúne obras dos selos Ática, Atual, Caramelo, Formato, Saraiva e Scipione de literatura infantojuvenil. A área também é responsável pelo Coletivo Leitor, portal que busca difundir o valor e a importância da leitura e da literatura para o ser humano desde criança, estimulando a criatividade e o desenvolvimento da empatia.

Sobre a Mauricio de Sousa Produções 

A Mauricio de Sousa Produções é uma das maiores empresas de entretenimento do Brasil, responsável por uma das marcas mais admiradas do país, a Turma da Mônica. A MSP investe em inovação e produz conteúdos em todas as plataformas com a mais alta tecnologia, alinhando educação, cultura e entretenimento. No licenciamento, trabalha com 200 empresas que utilizam seus personagens em mais de 4 mil itens. A presença da marca na plataforma YouTube já passou de 19,8 bilhões de views, sendo a maior audiência para Mônica Toy, conteúdo desenvolvido exclusivamente para esta plataforma; além do engajamento e interações orgânicos com os fãs em mídias sociais. Na área editorial, possui um dos maiores estúdios do setor no mundo, com 500 títulos de livros e mais de 1 bilhão de revistas vendidas, ambos responsáveis pela alfabetização informal de milhões de brasileiros.

Fonte: Mira Comunicação

 

Tagged

O EXAMES DO SEU PET ESTÃO EM DIA?

Convidamos a Dra.Bianca Lomasi, Médica Veterinária, Especializada em Análises Clínicas e Mestre em Ciências da Saúde, para nos esclarecer um pouco mais sobre esse assunto.

A Medicina Veterinária é uma área em crescente ascensão nos últimos anos no Brasil. Os animais têm ocupado posição de destaque nas famílias, sendo considerados como membros da mesma. Eles têm recebido atenção privilegiada sobre todos os aspectos, desde utensílios, acessórios, dieta, higiene e até mesmo cirurgias e terapias especializadas para cada espécie.

A área de laboratório clínico através de exames laboratoriais vem acompanhando este cenário, oferecendo equipamentos e exames com avançadas tecnologias e específicos para cada doença das diversas espécies, como cães, gatos e pets não convencionais (roedores, coelhos, aves, répteis, peixes). Os são fundamentais no diagnóstico precoce das doenças e acompanhamento dos tratamentos.

Os laboratórios veterinários, nem todos, oferecem o serviço de forma muito semelhante aos laboratórios humanos, com a colaboração de softwares específicos para a veterinária, com informações sobre preparo específico para cada exame (jejum alimentar) e liberação de laudos via site corporativo através de login e senha confidencial.

Atualmente, há uma  gama de exames e procedimentos laboratoriais disponíveis na Medicina Veterinária como o hemograma, hormônios, sorologias, PCRs em amostras de sangue, exames de urina, fezes, colheita de biópsias de diversos tecido e análise de histopatologia, citologia, dentre outros. Todos eles colaboram com o clínico veterinário oferecendo informações complementares para o sucesso diagnóstico e tratamento adequado para cada doença e paciente. A solicitação de exames  laboratoriais em alguns casos se faz necessária e imprescindível para um diagnóstico exato e seguro.

A colheita das amostras é realizada com enfermeiros treinados através de técnicas de contenção e colheita adequadas para cada espécie e que ocorre em salas especialmente preparadas para este procedimento. Há ainda salas planejadas exclusivamente para colheitas em felinos a fim de proporcionar um ambiente tranquilo, seguro e confortável para o paciente.

Atualmente, alguns laboratórios veterinários também oferecem serviço especializado de colheita e análise de animais silvestres e exóticos. Estes pets não convencionais estão cada vez mais presentes nos lares brasileiros, convivendo harmoniosamente com os cães e gatos.

Desta forma, o Médico Veterinário especializado em exame laboratorial tem enfrentado com sucesso os constantes desafios com as mudanças do cenário pet, sendo necessária a atualização constante e capacitação profissional em prol do bem estar de nossos pacientes.

E não esqueça, sempre consulte o veterinário e faça exames de rotina, para saber se está tudo bem. Assim como nós humanos, eles também precisam de um acompanhamento para prevenir possíveis doenças. @marlipress @biancalomasi

Você sabe calcular a idade do seu cão?

Um estudo realizado pela BBC UK, determinou que para calcular a idade de cada cachorro é preciso levar em conta alguns fatores.
> Cada raça tem uma velocidade diferente de avançar os anos
> Cada raça demora um tempo diferente em cada etapa da vida (juventude e vida adulta)
> Cachorros de raça pequena tem um período curto de juventude e uma longa vida adulta
> Cachorros de raça grande são o oposto, demoram cerca de dois anos para adquirir totalmente sua forma adulta e > então, vivem cerca de mais 4 ou 5 anos
> Cachorros de raças pequenas vivem mais do que cachorros de raças grandes

Na tabela, considere que:

Pequeno = até 9kg
Médio = 10 a 23kg
Grande = Mais de 24kg

Para calcular a idade real dos cães utilize esses multiplicadores:

Para os dois primeiros anos de vida
Cachorros pequenos: multiplicar cada ano por 12,5
Cachorros médios: multiplicar cada ano por 10,5
Cachorros grandes: multiplicar cada ano por 9

A partir do terceiro ano de vida, acrescentar mais essa multiplicação:
Cachorros pequenos (multiplicar cada ano por): Lhasa Apso 4,49 / Shih Tzu 4,78 / Chihuahua 4,87 / Beagle 5,20 / Cocker Spaniel 5,55 / Pug 5,95 / Buldogue Francês 7,65
Cachorros médios (multiplicar cada ano por): Labrador Retriever 5,74 / Golden Retriever 5,74, Staffordshire Bull Terrier 5,33
Cachorros grandes (multiplicar cada ano por): Pastor Alemão 7,84 / Boxer 8,90

Pets podem contrair dengue/zika/chikungunya?

A Dirofilariose também é considerada uma zoonose, ela tem alta incidência em regiões litorâneas, mas também pode ocorrer em regiões interioranas, e é conhecida como doença do verme do coração. É transmitida por mosquitos como Aedes spp., Anopheles spp., Culex spp., que são conhecidos por transmitir doenças como dengue, zika, chikungunya, em humanos, sendo que essas últimas três, NÃO SÃO TRANSMITIDAS PARA CÃES E GATOS, porém tem seus vetores comuns! A Dirofilariose causa em cães e gatos alterações cardiopulmonares, podendo levar a sinais clínicos como tosse, cansaço fácil ao exercício, apatia, mucosas arroxeadas devido à alteração cardíaca, pois o verme adulto se aloca no coração.

 Qual melhor forma de proteger os pets contra os mosquitos?

A melhor forma de proteger os animais contra os mosquitos é o uso de repelentes, podem ser usados através de coleiras repelentes, sprays, pipetas, odorizadores de ambiente (de citronela por exemplo), principalmente quando vão estar em locais com alta probabilidade de contato com esses vetores.  As coleiras e pipetas são de farmácia veterinária e podem ser adquiridas com orientação do médico veterinário, sendo que as coleiras podem ter uma vida útil de 2 – 4 meses, e as pipetas devem ser reforçadas a aplicação tópica a cada 30 dias. O uso em ambiente de odorizadores e repelentes de ambiente devem sempre respeitar as indicações de uso e proteção para animais e crianças visando evitar intoxicações!

Além de doenças, picadas de mosquitos podem provocar irritação e coceira. Como o tutor deve agir para amenizar o incômodo.

Além das picadas dos mosquitos transmitirem essas doenças, podem causar irritação, dor local, coceira e vermelhidão na pele dos animais, e em casos de animais mais sensíveis podem desencadear crise alérgica levando a inchaço local. Em caso de irritações leves, pode ser realizado banhos ou compressas frias com chá de camomila para ajudar na irritação local, em casos mais graves de coceira exacerbada, vermelhidão intensa e irritação é sempre importante buscar atendimento veterinário!

 Quais as principais doenças transmitidas por mosquitos a cães e gatos e qual a gravidade delas?

 As principais doenças transmitidas por mosquitos para cães e gatos são a Dirofilariose e a Leishmaniose. Ambas são doenças graves que podem levar os animais a óbito.

 Alguma pode ser transmitida a humanos?

A Leishmaniose é considerada uma zoonose – ou seja pode ser transmitida para o ser humano de forma acidental- porém não através do cachorro, mas sim através do vetor comum, o mosquito (mosquito-palha – um flebotomíneo) que após picar um cão contaminado, se infecta e na sequência ao picar um ser humano pode infectá-lo também. Essa doença tem incidência maior em regiões interioranas da América Latina, porém alguns casos da doença estão sendo relatados em regiões metropolitanas.

Desde 2013 o tratamento de Leishmaniose é autorizado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária pelo médico veterinário em cães e gatos positivos para a doença (antigamente a eutanásia de animais acometidos pela doença era obrigatória uma vez que comprovado). Animais com essa doença podem apresentar perda de peso importante, alterações de pele, crescimento exacerbado de unhas e como consequência terem insuficiência renal devido a doença.

CAMPANHA DE ADOÇÃO PARA ESSAS FOFURAS DO PROJETO PACOTINHO DE AMOR

 

Nossa coluna se solidariza com projetos especiais, e claro, o resgate de animais abandonados requer muita responsabilidade. E nós, nos empenhamos em ajudar aos que fazem, e você poderá ajudar de alguma forma.
O PROJETO PACOTINHO DE AMOR, não é uma ONG, são pessoas que se uniram em um só propósito, resgatar os pets que aparecem e dar um lar à eles. Mas, infelizmente a fila não acaba. Muitos já foram adotados, mas, novos também já chegaram.

Entrem para essa corrente do bem!

Sigam o INSTAGRAM, @projeto.pacotinhodeamor

Formas de ajudar:

– Amadrinhando um resgatado;
– Doando vermífugo;
– vacinas,
– anti pulgas;
– banhos;
– castração.

Entre em contato pelo whatsapp: 11-99489-6555

Se quiser adotar, será necessário ter acima de 18 anos, portar documento, preencher um formulário e passar por uma entrevista diretamente com os representantes do projeto.
Conheça alguns que esperam por um lar.

 

OS CÃES DE GUERRA DO EXÉRCITO BRASILEIRO

caes do exercito
Você sabia que o termo “Cão de Guerra” é utilizado para se referir a cachorros treinados especialmente para o emprego militar? Esses animais, que também recebem treinamento para ações de combate, desenvolvem atividades que vão desde o patrulhamento e a guarda de instalações militares, até o faro para a busca de drogas e explosivos. Dentre suas funções estão, ainda, a de cães policiais.
Sua carreira militar inicia-se logo após o desmame, o que ocorre por volta de seus 40 dias de vida, e eles podem permanecer no serviço ativo até os oito anos de idade. Pode parecer pouco tempo, no entanto, para a vida de um cão, esse período é o suficiente e seu desligamento das atividades é merecido e necessário. Em comparação com a vida de um ser humano, o envelhecimento desses amigos caninos inicia-se mais cedo e, por eles irem perdendo a capacidade de adaptação a sobrecargas funcionais, não se pode exigir que possuam a mesma atuação de um animal jovem, mesmo que tenham recebido todos os tratamentos e acompanhamentos existentes ao longo de sua vida.

Dessa forma, mantemos os níveis operacionais dos canis militares, com uma renovação contínua e gradual do efetivo e um controle de seus quantitativos, sempre com cães no início do treinamento, com outros aptos a atuar e com aqueles que já estejam atingindo a idade de passarem para a reserva. Para isso, alguns batalhões, possuem um canil apto a realizar todas essas atividades e segue rigorosamente todas as normas militares de adestramento, atento ao bem-estar animal, para que o plantel esteja sempre em plenas condições para cumprir qualquer missão, sem que nenhum cão seja prejudicado.

Nosso plantel é composto de cães das raças Rottweiler, pastor Alemão e Pastor Belga de Malinois, e cada raça possui uma aptidão e habilidade e é treinada para uma missão específica. Alguns cães possuem a capacidade de desenvolver mais habilidades, o que chamamos de cão multifuncional.

Queremos que você participe desta coluna.  Mande a sua sugestão de pauta para o e-mail, marlipress@gmail.com ou no direct do instagram @diganaoaleishmaniose 

DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS É COMEMORADO NO IPIRANGA 

Dia 4 de Outubro, foi o Dia Mundial dos Animais. 

Para celebrar esse dia, a Clínica Veterinária Bom Pastor, como em todos os anos, recebeu o FREI ANACLETO e vários tutores com seus animais.

Todos os anos a Dra Sirley Rodrigues e sua equipe recebem tutores com seus cães e vários convidados para uma festa incrível. Neste ano, a bênção foi mais intimista.
 
Vários tutores com seus cães estiveram lá, receberam a bênção e retiraram a água abençoada pelo FREI.
 
Quem ainda quiser retirar a sua, só dar uma passadinha na clínica e retirar a sua.
 
QUE DEUS CONTINUE ABENÇOANDO OS NOSSOS ANIMAIS E AOS SEUS TUTORES E PROTETORES! 
CONFIRA AS FOTOS DESSE DIA ESPECIAL 
WhatsApp Image 2023-10-19 at 17.36.46
Tagged , ,

Aromaterapia em pets, pode?

cão e flores pet_na_primavera_widexl-600x400

Na maioria das vezes, a aplicação da aromaterapia veterinária é feita no ambiente. Os óleos essenciais para animais são borrifados em caminhas e arranhadores, por exemplo, para que a inalação do odor ocorra indiretamente.

Contudo, há profissionais que realizam a aplicação tópica, ou seja, na pele do pet. Ela pode ser feita em pontos específicos ou durante a massagem. Isso vai depender da avaliação veterinária.

As plantas usadas para elaborar os óleos essenciais dependem do objetivo a ser alcançado. As mais comuns são:

  • Laranja;
  • Limão;
  • Lavanda;
  • Gengibre;
  • Camomila;
  • Erva do gato,
  • Hortelã

Alertas sobre aromaterapia em animais

É muito importante que o tutor nunca comece a usar qualquer óleo essencial em cães, gatos e outros animais sem a orientação do médico-veterinário. Em alguns casos, quando o produto é usado de forma errada, há a chance de intoxicar o pet.

Isso é ainda mais perigoso quando a aromaterapia veterinária é aplicada em gatos. Esses animais são mais sensíveis e, se a diluição do óleo essencial não for correta e voltada para a espécie, o risco aumenta.

Dessa forma, qualquer tratamento deve ser indicado por um profissional.

Outros cuidados com a aromaterapia

  • Nunca use os óleos essenciais para animais perto dos olhos, nariz ou mucosa do animal, pois isso causará irritação;
  • Nunca administre os óleos essenciais para animais via oral, pois são tóxicos;
  • Garanta que o pet não esteja por perto quando for borrifar o produto no ambiente. Isso é importante para evitar que caiam, acidentalmente, gotículas do produto em olhos, boca, nariz ou região genital do animal;
  • Tenha cuidado redobrado com os gatos, pois eles têm mais dificuldade em metabolizar os óleos essenciais e podem se intoxicar;
  • Nunca use o produto indicado para humanos nos pets, pois a concentração é muito alta e poderá prejudicar a saúde deles,
  • Sempre observe a reação do seu bichinho. Caso note que ele não gosta, que começa a espirrar ou tem qualquer outra reação ruim, suspenda o uso e entre em contato com o médico-veterinário.

Embora a aromaterapia para animais possa ajudar a tratar alterações comportamentais, nem sempre ela é a técnica de escolha. Há outras formas, como o adestramento, aumento nas atividades físicas e alterações na rotina, que poderão ser as mais indicadas.

Por isso, nunca comece um tratamento sem a orientação de um profissional. Só com o suporte veterinário você terá a certeza de que estará adotando o que é melhor para o seu animal de estimação.

Fonte : Seres

Por: @reservadocearomas

Tagged

IDEXX comemora uma década de mercado pet no Brasil

idexx imagem

A IDEXX, líder e pioneira em diagnósticos, reconhecida mundialmente no mercado veterinário, comemora quatro décadas impulsionando a inovação e transformando a saúde dos animais de estimação em todo o mundo. Com sede em Maine (EUA), emprega quase 11.000 profissionais globalmente e atende a clientes em mais de 175 países. Nos últimos 40 anos, a IDEXX solidificou sua posição como líder global em inovação para a saúde animal, fornecendo insights e soluções que permitem à comunidade veterinária tomar decisões médicas confiáveis, melhorar o cuidado com os pacientes e gerenciar suas práticas com eficiência.

Em 2013, a IDEXX inaugurou sua sede LATAM localizada no Brasil. A empresa orgulhosamente celebra seu décimo ano no país, em uma jornada caracterizada por contribuições significativas para o diagnóstico veterinário e o bem-estar dos animais de estimação. Além de suas inovações diagnósticas, o impacto da IDEXX no Brasil se estende ao apoio abrangente aos veterinários na prestação de diagnósticos de alta qualidade. O estabelecimento de um moderno Laboratório de Referência, em São Paulo, exemplifica a dedicação da empresa em fornecer diagnósticos de primeira linha e serviços de suporte.

“Nós revolucionamos os diagnósticos”, diz Eduardo Abecia, Gerente Geral LATAM, expressando o compromisso da IDEXX em incorporar tecnologia e inovação aos diagnósticos veterinários. “Trouxemos sofisticação diagnóstica em hematologia e bioquímica, tornando possível obter resultados de qualidade de laboratório de referência, em poucos minutos, na própria clínica.”

Além de inovação e instalações modernas, a IDEXX reconhece a importância da educação para o avanço da medicina veterinária. Ao estabelecer parcerias estratégicas com líderes de opinião e universidades, a IDEXX Brasil posiciona-se na vanguarda da transferência de conhecimento e realização de melhores práticas pela comunidade veterinária. Por meio de oficinas, webinars e programas educacionais, a IDEXX capacita os veterinários com os mais recentes avanços em diagnósticos e cuidados médicos, aprimorando suas habilidades e melhorando os resultados para os pacientes.

No total, são mais de 100 profissionais dedicados ao atendimento direto de clientes no Brasil. Com isso, a IDEXX valoriza relacionamentos mais próximos entre a equipe e os veterinários. Essa abordagem centrada nas pessoas tem gerado resultados positivos, com pesquisas recentes mostrando o reconhecimento dos clientes aos serviços prestados pela IDEXX.

“Somos impulsionados por uma missão compartilhada de aprimorar o padrão de cuidado para os animais de estimação”, enfatiza Eduardo Abecia. “Nosso investimento em pessoas é essencial para criar uma conexão mais próxima e significativa com os veterinários.”

Ao completar dez anos no Brasil, a IDEXX renova o compromisso em ultrapassar os limites dos diagnósticos veterinários e apoiar a comunidade veterinária na prestação dos melhores cuidados possíveis aos animais de companhia. Olhando para o futuro, a empresa mantém-se firmemente comprometida em sua missão de avançar a medicina veterinária e melhorar a vida dos animais e seus tutores. Com foco inabalável em inovação, educação e satisfação do cliente, a IDEXX continuará moldando um futuro mais brilhante e saudável para os animais de estimação e os veterinários.

Sobre a IDEXX

Empresa líder mundial em diagnóstico com 40 anos de atuação, oferece tecnologias e serviços aos veterinários. Com sede em Maine (EUA), a IDEXX emprega quase 11.000 pessoas globalmente e atende clientes em mais de 175 países. Há 10 anos no Brasil, a empresa solidificou sua posição como líder global em inovação para a saúde animal, fornecendo insights e soluções que permitem à comunidade veterinária tomar as mais assertivas decisões médicas, oferecer melhor cuidado aos pacientes e gerenciar suas práticas com eficiência. Para mais informações, acesse: https://www.idexx.com.br/pt-br/about-idexx/

Tagged

Para prevenção da leishmaniose em cães, coleiras são fundamentais

cão e flores pet_na_primavera_widexl-600x400

Coleiras de ação repelente e inseticida são essenciais no combate à leishmaniose em cães

O uso de coleiras com função repelente e inseticida tem sido indicado por especialistas como a melhor forma de prevenção à leishmaniose visceral, doença que acomete cães em todas as regiões do Brasil. A enfermidade é extremamente relevante, já que se trata de uma zoonose de notificação obrigatória ao Ministério da Saúde. Nos últimos 10 anos, foram registrados 31.585 casos em humanos, dos quais 2.404 evoluíram para morte.

“A utilização de coleiras com efeito repelente e inseticida contra o mosquito-palha, o principal vetor do protozoário Leishmania e causador da doença, é uma excelente forma de prevenção da leishmaniose visceral, pois reduz a possibilidade de transmissão por meio de princípios ativos altamente eficazes e seguros”, informa o médico-veterinário Jaime Dias, gerente técnico e de marketing de animais de companhia da Vetoquinol, empresa que celebra 90 anos em 2023.

Importante: para cada caso em humanos há pelo menos 200 cães infectados, o que potencializa a transmissão da doença – já que o mosquito pica ambas as espécies, levando o protozoário de um para outro. Contudo é muito importante que se utilize coleira produzida com alta tecnologia para uma ação repelente segura e eficaz.

coleira frontmax vetoquinol

FrontMax® Coleira é a única do mercado com tecnologia exclusiva em seu processo de produção que possui 3 princípios ativos: fipronil, piriproxifeno e permetrina, que ficam em contato com a gordura da pele e pelos do animal, sendo liberados de forma gradativa e contínua durante o período de ação da coleira que são de 8 meses”, O processo de repelência de FrontMax® Coleira contra o mosquito palha, tem contribuído com tutores de todo o país para prevenir a leishmaniose em seus cães, explica o médico-veterinário, que possui residência com foco em doenças infecciosas dos animais domésticos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp),”O processo de produção de FrontMax® Coleira é inovador, pois utiliza termopolímeros além de dermocosméticos que dão mais estabilidade à formulação e contribuem para a redução de reações de pele. Resistente à água e sem cheiro, a coleira é indicada para cães de todas as raças”, complementa Jaime Dias.

Sintomas da Leishmaniose Visceral

O tutor deve ficar atento e procurar imediatamente um médico-veterinário ao notar os seguintes sintomas no seu pet: desânimo, fraqueza, perda de apetite, emagrecimento progressivo, perda de massa muscular, descamações na pele, feridas no focinho, orelhas, região das articulações e cauda, além de perda de pelos, crescimento exagerado das unhas, vômito e diarreia. Isso porque a leishmaniose pode causar a morte do animal além de colocar em risco a saúde da sua família.

Sobre a Vetoquinol Saúde Animal

A Vetoquinol Saúde Animal está entre as 10 maiores indústrias de saúde animal do mundo, com presença na União Europeia, Américas e região Ásia-Pacífico. Com expertise global conquistada ao longo de 90 anos de atuação – celebrados em 2023 – a empresa também cresce no Brasil, onde expande suas atividades há 12 anos, desde 2011. Grupo independente, a Vetoquinol projeta, desenvolve e comercializa medicamentos veterinários e suplementos destinados à produção animal (bovinos e suínos), animais de companhia (cães e gatos) e equinos. Desde sua fundação, em 1933, na França, combina inovação com diversificação geográfica. O crescimento do grupo é impulsionado pelo reforço do seu portfólio de soluções associado a aquisições em mercados de alto potencial de crescimento, como a brasileira Clarion Biociências, incorporada em 2019. No Brasil, a Vetoquinol tem sede administrativa em São Paulo (SP) e planta fabril em Aparecida de Goiânia (GO), atendendo todo o território nacional. Em termos globais, gera mais de 2,5 mil empregos e está listada na bolsa de valores Euronext Paris desde 2006 (com o símbolo VETO). Para mais informações, contate o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) formado por profissionais da área veterinária para auxílio aos clientes. A ligação é gratuita: 0800 741 1005. Ou acesse www.vetoquinol.com.br.

 

Tagged

Mais atençao a saude dos pets, faz IDEXX crescer dois digitos por ano

WhatsApp Image 2023-09-28 at 11.25.21

Avanço e modernidade dos diagnósticos para pets podem prolongar a vida dos animais e aliviar as preocupações dos tutores

Com mais atenção à saúde dos pets, IDEXX Diagnósticos cresce dois dígitos por ano

Testes para detecção de doenças em 20 minutos nas clínicas, equipamentos de alta tecnologia para exames complexos e contribuição ao trabalho dos médicos veterinários. A população de cerca de 102 milhões de cães e gatos do Brasil* conta com a mesma atenção à saúde que as pessoas. “Afinal, eles são membros da família”, resume Eduardo Gosztonyi Abecia, gerente geral LATAM da IDEXX, empresa líder global de diagnósticos para animais, que está completando dez anos no país e cresce a dois dígitos todos os anos.

O negócio de diagnósticos veterinários ainda é modesto no Brasil. Segundo estimativas da IDEXX, representa em torno de R$ 500 milhões. É pouco para o tamanho do mercado de cães e gatos, que movimentou R$ 42 bilhões em 2022,segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), e num país em quecerca de 50% dos lares tem pelo menos um pet, aponta a Comissão de Animais de Companhia do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Comac-Sindan). Nos Estados Unidos, o segmento movimenta mais de US$ 1 billhão/ano.

“Entre os nossos desafios, está o trabalho importante de incorporar a cultura dos diagnósticos junto aos tutores, sempre em parceria com os médicos veterinários. E estamos tendo sucesso. O mercado cresce todos os anos e assim vem o principal: os animais de estimação estão recebendo cada vez melhor cuidado, fortalecendo o seu bem-estar e qualidade de vida”, explica Abecia.

Para o sucesso desse trabalho, a IDEXX investiu em uma equipe de profissionais técnicos para trabalhar em parceria com os clínicos especializados em pets, oferecendo tecnologias, serviços e conhecimento.

“As pessoas amam seus pets e tem cuidado cada vez mais deles. Nosso papel é oferece a melhor e mais avançada tecnologia em diagnóstico para a clínica veterinária, contribuindo para que o profissional ofereça ainda mais qualidade de vida para os pets”, reforça o gerente geral LATAM da IDEXX.

Tagged ,

Como superar a perda de um pet. Estopinha Rossi virou estrelinha.

Estopinha Rossi, morre aos 14 anos.

Nesta semana, nos deparamos com postagens nas redes sociais, da tristeza de Alexandre Rossi, Dr. Pet e sua cachorrinha Estopinha, muito conhecida e amada por todos. Ela já estava com 14 anos e no final dos seus dias, foi doloroso ver e relembrar de todos os nossos que partiram. Parece que vai com eles, um pedacinho da gente!

Perante a morte de um animal de estimação é comum ter-se a sensação de que apenas se deve chorar por um ser humano, mas isto não é verdade. A relação com um animal pode ser muito profunda e da mesma forma deve ser feito um luto:

A melhor forma de fazer um luto é se permitir expressar tudo aquilo que sente, chore se quiser ou não expresse nada se não lhe apetecer. Mostrar como se sente é muito importante para gerir de forma saudável as suas emoções.

Expresse às pessoas de confiança como era a relação com o seu pet, o que lhe fez aprender, em que momentos estava consigo, como você gostava dele… O objetivo disto é poder expressar as suas emoções.

Quando for possível, deve entender que já não é preciso ter em sua casa os utensílios do seu cachorro ou gato. Deve ser capaz de doar a outros cachorros ou animais que precisem, como o caso de cães de refúgios. Mesmo que você não o queira fazer, é importante que o faça, deve entender e assimilar a nova situação e esta é uma boa forma de o fazer.

Pode ver quantas vezes quiser as fotografias que tem com o seu pet, por um lado isto ajuda a expressar o que sente e por outro a assimilar a situação, a fazer o luto e a entender que o seu animal partiu.

As crianças são especialmente sensíveis à morte de um pet, por isso deve tentar que eles também se expressem com liberdade, que possam sentir-se com direito a sentir tudo aquilo que sentem. Se com o tempo a atitude da criança não se tiver recuperado, talvez possa precisar de uma terapia de psicologia infantil.

Foi definido que o tempo de luto pelo falecimento de um animal não deve ser superior a um mês, caso contrário seria um luto patológico. Mas não tenha em conta este tempo, cada situação é diferente e pode ser que você demore mais tempo.

Se perante a morte do seu pet está sofrendo de ansiedade, insônia, apatia… Talvez você também precise de uma atenção especializada que o ajude.

Tente ser positivo e se lembrar dos momentos mais felizes a seu lado, fique com as melhores recordações que conseguir e tente sorrir sempre que pensar nele. E foi isso que o Dr. Alexandre fez, relembrou momentos muito bons com ela.

Todos os cães são únicos, quando temos mais de um, mas, podemos tentar acabar com a dor do seu pet falecido, oferecendo uma casa a um animal que ainda não tenha, o seu coração ficará repleto de amor e carinho mais uma vez.

 

Pet Stop, praça de “aulimentação” para tutores é inaugurada no Raposo Shopping em Sao Paulo

 

Espaço exclusivo visa atender à demanda crescente das chamadas famílias multiespécies.

As conhecidas como famílias multiespécies – ou seja, aquelas que englobam animais de estimação, especialmente cães e gatos – agora contam com mais um espaço de acesso gratuito projetado exclusivamente para elas no Raposo Shopping. Denominada “Pet Stop”, a praça de “aulimentação” para humanos acompanhados de pets está localizada no piso São Paulo.

O novo espaço, no empreendimento que já é pet friendly, é reservado para os tutores fazerem suas refeições na companhia dos seus melhores amigos de quatro patas. A Pet Stop também será palco de eventos e atividades temáticas exclusivas para animais de estimação, incluindo workshops e palestras sobre cuidados e bem-estar dos pets, oferecendo aos visitantes uma combinação única de entretenimento e educação.

Também no piso São Paulo, o empreendimento disponibiliza gratuitamente o Cantinho Pet, onde estão reunidos diversos brinquedos e obstáculos para os cães gastarem energia e se divertirem, diariamente, durante todo o horário de funcionamento do Shopping. Dentre eles: passarela, salto no pneu, mini rampa, salto na barra, túnel e slalom – circuito de barras metálicas ou plásticas erguidas em fileira para que os cães possam fazer o movimento zigue-zague em treinamento de agilidade. Cães e gatos contam ainda com um banheiro e bebedouros com água fresca.

Os espaços foram especialmente projetados para atender às necessidade de quem passeia pelo empreendimento com os pets, em linha com a crescente demanda por espaços pet friendly. Segundo dados do Radar Pet 2021, realizado pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), o Brasil é o terceiro país com maior número de animais domésticos. Durante a pandemia, o número de animais nas casas do País cresceu 30%, fechando 2021 com um total de 149,6 milhões de pets.

 

Serviço: Praça de “Aulimentação” Pet Stop
Onde: Piso São Paulo do Raposo Shopping (Rod Raposo Tavares, km 14,5 – São Paulo/SP)
Horário: durante o horário de abertura do Shopping
Segunda a sábado: das 10hr às 22hrs
Domingo: das 14h às 22hrs
Quanto: gratuito
Classificação: livre

Mais informações: www.rapososhopping.com.br ou pelo telefone (11) 3731-5000

 

 

Reabilitação para animais: saiba quais são os tratamentos mais indicados para a recuperação de lesões

Com o avanço da medicina veterinária, equipamentos de ponta promovem bem-estar animal, indo além da cura

 

Quem convive com animais sabe o quanto é difícil quando eles estão doentes. Não é uma tarefa fácil cuidar deles e tratá-los corretamente. Graças aos avanços da tecnologia no campo da medicina veterinária, já existem diversos programas de reabilitação animal que oferecem tratamentos eficazes para solucionar diferentes tipos de problemas: prevenir lesões, restaurar e manter as funções do animal, auxiliar no alívio da dor e inflamação, melhorar a qualidade de locomoção e diminuir possíveis desconfortos do bichinho.

 

Para Rodrigo Moretti, médico veterinário e consultor científico da HTM VET, indústria referência no desenvolvimento e fabricação de equipamentos para saúde e bem-estar animal, o objetivo não é só curar, mas também proporcionar qualidade de vida.

 

“Atualmente, a tecnologia é parte essencial em muitas coisas do nosso dia a dia, desde as lâmpadas das nossas casas até as inteligências artificiais e robôs. Na área da saúde não poderia ser diferente. Mais legal que isso é poder utilizar as tecnologias médicas na medicina veterinária, em prol da saúde e bem-estar dos animais. Os equipamentos da HTM Vet possuem resultados incríveis, com rápida recuperação e toda segurança da HTM. E poder ver seu animalzinho saudável e feliz novamente não tem preço”, diz.

 

Com uma variedade de dispositivos e equipamentos surgindo nesse segmento, Rodrigo elenca dois dos principais tratamentos que podem ajudar na recuperação dos pets e pacientes veterinários em caso de lesões. Confira:

 

O uso das Fototerapias (LED e Laser), no tratamento dos animais:

A fototerapia, através do LED e Laser, é um dos tratamentos mais utilizados no processo de cicatrização de feridas, reparação de lesões, pós-operatórios e antissepsia local. Essa tecnologia garante rápida cicatrização, melhora de quadros inflamatórios e dores. No caso do LED azul, também atua no combate a fungos, bactérias e outros agentes infecciosos. O procedimento é realizado com o equipamento LED LASER VET, e seus resultados são considerados satisfatórios e seguros.

 

“É um procedimento indolor, que utiliza a emissão de luz em diferentes comprimentos de onda, para proporcionar um tratamento eficaz e uma melhor qualidade de vida ao animal”, indica Rodrigo.

 

Tecarterapia para dor aguda e recuperação de lesões musculares

A tecarterapia é um tratamento que estimula a reparação e atua com ação analgésica e anti-inflamatória através do calor gerado pelo movimento de cargas elétricas nos tecidos musculares. O equipamento utilizado, o Tecarterapia Vet, possui tecnologia multifrequencial, em que é possível trabalhar com três frequências distintas, aplicadas de forma individual ou combinada, para tratamento de dor aguda e crônica, quadros inflamatórios, relaxamento muscular e recuperação de lesões musculares.

Além disso, o equipamento possui a revolucionária técnica hands free, que utiliza pulseiras para o profissional, de modo que a radiofrequência seja transmitida pelas mãos do veterinário para as áreas de tratamento do animal. Assim, a tecnologia do aparelho pode ser utilizada associada a uma massagem manual e/ou manobras de drenagem. “A técnica hands free proporciona uma experiência sensorial única entre o médico veterinário e o animal, fortalecendo o laço de confiança dos dois e trazendo tratamentos mais confortáveis para o pet”, conclui Rodrigo.

 

Sobre a HTM VET

A HTM VET nasceu de uma indústria referência no desenvolvimento e fabricação de equipamentos eletro-eletrônicos dirigidos ao segmento de saúde no Brasil, a HTM Eletrônica, referência no desenvolvimento e fabricação de equipamentos dirigidos ao segmento de estética e fisioterapia. A empresa foi fundada em 1999. Com equipe multidisciplinar altamente capacitada, a HTM está localizada em Amparo – SP e tem como foco profissionais esteticistas e fisioterapeutas que têm interesse em tecnologia para clínicas.

Turismo Pet, conheça um local mais que especial pet friendly

 

Considerada uma das principais cabanas de luxo do turismo de experiência do
Brasil, a Nomad Place também é pet friendly e proporciona para o hóspede a
possibilidade de dividir momentos especiais com o seu bichinho de estimação.
No local é possível contar com pote para ração, espaço para caminhar com o seu
pet e funcionários receptivos aos animais.
“Entendemos na nossa jornada que muitas pessoas que procuravam as nossas
cabanas, esperavam também ter um local onde pudessem compartilhar momentos
com o seu pet. Já chegamos a receber hóspedes que vem sozinhos com os seus
bichos, ou que ainda vem para fazer ensaio fotográfico com o seu melhor amigo”,
conta Halmer Marques, proprietário e fundador da Nomad Place.
As reservas podem ser efetuadas através do Instagram ou ainda pelo Airbnb.
Sobre a Nomad Place
Criada em 2020 pelo empresário Halmer Marques, a Nomad Place é um complexo
de cabanas de luxo.
Com sede em São Bento do Sapucaí e no recém-inaugurado complexo na cidade
CUNHA/SP, com 04 cabanas e até setembro serão inauguradas mais 09 cabanas.

As cabanas possuem o formato A-Frame, Domo e Tiny House, e foram inspiradas
na cultura nórdica. O intuito da marca é oferecer um turismo de experiência e se
tornar referência no setor.
NOMAD PLACE tem estrutura de hotel, mas com a rusticidade e a liberdade que
um acampamento oferece.
Alguns diferenciais do complexo de cabanas de luxo:

 As cabanas são equipadas com cozinha para o hospede caso deseje
possa cozinhar, mas há opção do “CHEF” do Nomad preparar um
jantar exclusivo dentro da cabana.
 Água quente
 Sabonete
  Roupa de cama
 Aquecedor
 Lareira
 Geladeira
 Forno e fogão
 Cafeteira
 Louças
 Churrasqueira
 Estacionamento
 WIFI
 Pet friendly

Nomad Place | Sua cabana na montanha nomadplacebr.com

Curso de banho e tosa em pets, como lazer e ampliação de conhecimento

Com a pandemia, vivida por todos, houve uma baixa nas atividades de muitos profissionais liberais. Com isso, muitos procuraram além de uma nova ocupação, ou um plano B, cursar algo que além de aprimorar conhecimento,  fosse tb, uma forma de equilibrar a mente. Aqui, o jornalista Rodrigo Lico, com mais de duas décadas atuando na profissão, decidiu ingressar em um curso inusitado e totalmente divergente e diametralmente oposto de formação, o curso de banho e tosa para pets, algo que sempre teve vontade de praticar como lazer e “terapia” e eventualmente uma segunda profissão a ser conciliada com o jornalismo.

Lico revela que a princípio não pretende largar sua profissão, na qual possui desenvoltura, conhecimento técnico e prático, é possível conciliar, destaca ele. Mas revela que nada impede de conhecer outras áreas para se desenvolver e adquirir novas aptidões. O jornalista explica que: “o ser humano não pode ser estagnado, uma metonímia que utilizo frequentemente, é a de que:  {não somos árvores para nascer, crescer e morrer no mesmo lugar}. Temos o espírito aventureiro, desbravador e constantemente ansiamos sempre por mais, conhecer e aprender novas coisas”, conclui Rodrigo.

O jornalista escolheu esse curso específico, por que sempre amou estar na presença dos animais, sempre foi tutor de cachorros desde sua infância, de diversas raças e tamanhos, e que a companhia dos pets é algo prazeroso e relaxante em sua vida. Durante o curso ele teve a oportunidade de conhecer mais sobre os animais de estimação, estudou raças, comportamentos, como tratar o animal em suas particularidades, a utilizar adequadamente ferramentas como: tesouras, máquinas de tosa, secador, soprador e produtos cosmetológicos em geral destinados aos pets.

Lico revela que este curso tem sido uma verdadeira terapia, mas não é tão simples e fácil como muitos imaginam e que concilia essa atividade com a sua profissão de comunicólogo é plausível. Ele conclama que outras pessoas experimentem essa experiência, diversificar seus nichos profissionais de atuação. Indubitavelmente isso proporcionará um conhecimento mais amplo e aprimoramento em outros ofícios e promoverá o desenvolvimento pessoal, profissional e social na vida, proporcionando lazer e relaxamento. “Um médico pode se tornar um excelente profissional de gastronomia; um advogado pode ser um surfista referência em esportes. É preciso se permitir, adequar o tempo, para o que lhe faz bem e evitar o stress de uma rotina caótica e atribulada de somente uma profissão que pode alienar e estagnar a capacidade das pessoas”, conclui o futuro groomer.

Rodrigo aconselha: “se permita desenvolver novas atividades, descobrir novos talentos e aptidões que você nunca imaginou possuir, desperte e pratique algo que amplie a sua sensação de bem estar em outra profissão além da que já exerce”. Para quem gosta de animais de estimação (cães e gatos) e quer conhecer esse universo promissor que cresce a cada dia, saber como cuidar melhor do seu pet, eu recomendo conhecer a escola Belas Patas, situada na zona leste de São Paulo, acesse (https://belaspatas.com.br/).

Aproveite e se inspire no Lico e comece hoje mesmo aquele curso que além de te trazer um conhecimento inusitado, ainda te fará mais leve e mais feliz!! Fica a dica!!

Telemedicina para pets, conheça as vantagens

5 vantagens da telemedicina animal para tutores de pets 

 

*Por Alaíde Barbosa, CEO da Capri Venture e Natali Lubini, CEO da Dr. Mep 

 

A telemedicina animal é um serviço que veio para complementar o atendimento veterinário tradicional e facilitar a vida de tutores de pets de todo o Brasil. Por meio de consultas virtuais, é possível receber orientações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, além de tirar dúvidas e obter conselhos sobre a saúde geral dos animais de estimação. Proporciona aos tutores de animais de estimação um ótimo custo-benefício e é seguro. 

 

O serviço é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) desde 2022 através da resolução n. º 1465. O que significa que empresas, clínicas e veterinários que atendem pela modalidade virtual devem seguir rígidas regras e zelar pela saúde do animal.  

Importante ressaltar que as tele consultas que necessitam de prescrição do médico veterinário e os atendimentos emergenciais não podem ser feitos de forma remota. Serviços como os de tele orientação, por exemplo, podem ocorrer sem muitas restrições, facilitando o processo. 

 

Veja os cinco benefícios para os tutores de pet que optam por essa modalidade de atendimento veterinário! 

 

1 – Mais praticidade e economia de tempo  

 

Muitas vezes, os responsáveis de animais de estimação, apenas necessitam de uma orientação simples ou até mesmo uma segunda opinião médica. Desta forma, é mais fácil falar com o veterinário de forma remota do que sair de casa, pegar trânsito e causar um estresse desnecessário ao pet. 

 

2 – Melhor custo-benefício 

 

Os gastos com os animais de estimação costumam ser altos, por isso a telemedicina chega como uma ferramenta para democratizar o acesso ao atendimento veterinário de qualidade. As empresas e clínicas veterinárias que oferecem essa modalidade de atendimento costumam cobrar menos no atendimento de telemedicina do que em uma consulta presencial. 

 

3 – Possibilidade de consultar profissionais de todo o Brasil e de fora do país 

 

Além do conforto e da agilidade, o atendimento virtual proporciona que tutores encontrem especialistas fora da sua cidade de origem e até mesmo no exterior. No caso da busca de uma segunda opinião, por exemplo, é fundamental poder contar com profissionais especializados, que muitas vezes, podem estar fora do alcance geográfico do proprietário do animal. 

 

4 – Melhor monitoramento para prevenção de doenças 

 

Na medicina veterinária, muitas doenças podem ser prevenidas por meio de orientações e bom acompanhamento clínico. Com a telemedicina animal, o tutor pode contar com informações sobre alimentação adequada, vacinação, controle de parasitas e higiene, tudo o que irá ajudá-lo a prevenir doenças e melhorar a saúde do seu pet 

 

5 – Manter acompanhamento contínuo da saúde do animal 

 

A telemedicina viabiliza que o tutor mantenha um acompanhamento constante da saúde do pet, permitindo que o veterinário avalie o progresso e faça ajustes no tratamento. Esse tipo de cuidado é primordial para animais com doenças crônicas, como doenças do coração, diabetes e problemas pulmonares, já que os que têm idade avançada, normalmente demandam monitoramento frequente de suas condições clínicas. 
 
*Por Alaíde Barbosa, é CEO da Capri Venture, uma corporate venture builder que nasceu com o propósito de transformar o ecossistema pet; Natali Lubini é CEO da Dr. Mep, primeira plataforma do Brasil que conecta veterinários a tutores 

 

 

Sobre a Capri Venture  

A Capri Venture Builder é uma corporate venture builder que nasceu com o propósito de transformar o ecossistema pet. Tem como idealizadores a conceituada empresa Anilhas Capri, líder na identificação de animais silvestres, que firmou parceria com a FCJ Venture Builder, multinacional pioneira e líder no segmento de venture builder na América Latina. Como a primeira Pet Corporate Venture Brasil, atua em todo segmento com alta expertise em pássaros e genética de animais. Para mais informações, acesse https://capri.builders/ ou @capri.venturebuilder 

 

Inovação para o cuidado dos animais de estimação

 

Especialista traz soluções para os pais de pet que ficam preocupados com os animais quando estão fora de casa

A indústria de cuidados com animais de estimação está passando por uma transformação significativa, alimentada pela crescente importância dos pets em nossas vidas em conjunto com rápidos avanços tecnológicos. Os donos veem seus companheiros como membros integrais de suas famílias, levando a um aumento correspondente na demanda por produtos e serviços inovadores e de alta qualidade para cuidados com animais de estimação.

Por isso, a automação dos cuidados com os animais de estimação em casa pode proporcionar comodidade e tranquilidade tanto aos donos quanto aos animais com os produtos certos.

De acordo com o especialista em automação residencial, Romeu Jr, devido à volta das viagens frequentes em família, há uma demanda para a automação direcionada aos animais de estimação. “Com a automação é possível colocar um bebedouro ou um alimentador que pode ser controlado pelo celular fazendo o agendamento das porções. Também fazemos a instalação de câmeras Bi Direcional em que você pode monitorar ou conversar com o pet enquanto estiver fora. São coisas pequenas que tranquilizam o coração do dono”, explica o sócio da Linked Automação Residencial.

Os produtos usados pela Linked são feitos pela EKAZA, empresa que está em constante pesquisa de novos produtos que atende a necessidade de todos. “Uma das vantagens de ter não só os produtos, mas também a automação na casa para poder simular a presença quando o animal de estimação está agitado ou com medo. Você pode acender as luzes, ligar a televisão ou colocar música para ter um marulho que ele o acalme. Diminui o estresse do pet e do dono, que pode acompanhar o animal enquanto estiver fora”, conclui Romeu.

É possível experimentar o produto na loja de móveis planejados BOX MOB, parceira da Linked, em que uma vasta quantidade de móveis e aparelhos automatizados podem ser vistos pelos clientes antes de adquirir. Os produtos para os pets estão entre eles. A loja fica na na Rua Dr. Goulin, n°1327, bairro Juvevê.

Ao automatizar o cuidado de animais de estimação em casa, você pode garantir que as necessidades essenciais de seu amigo peludo sejam atendidas, mesmo quando você estiver ocupado ou longe de casa. Esses avanços tecnológicos não apenas fornecem conveniência, mas também contribuem para o bem-estar e a felicidade de seu animal de estimação.

Serviço: Linked Automação Residencial
Transformamos casas comuns em casas conectadas
Serviço diferenciado: acompanhamento de obra e compatibilidade de projeto com Metodologia EKAZA
Romeu Jr. – Especialista em Automação residencial
Mariane Bogo – Engenheira Civil e especialista em áudio e vídeo
+55 (41) 98415-5103 – Comercial com Romeu
@ekaza.com.br
@linked.automacao
https://www.linkedautomacao.com.br
Rua Dr. Goulin,1327, Curitiba-PR

  

Empresa de Inovação Pet destaca a importância dos brinquedos para cães e gatos

Saúde mental e física, redução do estresse e da ansiedade e estímulo sensorial. Esses são cuidados cada vez mais adotados quando por pais de mães de pets. As recomendações não partem apenas dos consultórios veterinários, mas de uma comunidade de especialistas e apaixonados por pets, que defendem uma vida saudável e feliz para nossos melhores amiguinhos.

Além dos cuidados básicos, como alimentação adequada, vacinação, higiene,  passeios e brincadeiras ao ar livre, a recomendação é para o uso de brinquedos, projetados para estimular os sentidos e atender às necessidades naturais dos Pets, os mantendo entretidos dentro de casa.

O tradicional mordedor,  por exemplo, além de entreter, é excelente para promover a limpeza mecânica dos dentes. E o mercado de brinquedos para Pets está em constante renovação, sempre trazendo novidades e inovações.

Cleiton Silva, CPO Diretor de Produto da Petiko, empresa de inovação Pet, com foco na experiência entre os tutores e seus pets, destaca entre os exemplos, brinquedos 2 em 1 (mordedor e porta-petisco). “O Pet precisa interagir com o brinquedo para liberar os petiscos, gerando desafios físicos e mentais, que são recompensados com petiscos”, explica Cleiton.

Já para a promover a redução do estresse e ansiedade, uma das sugestões é brincar de “cabo de guerra”. Nesse caso, Cleiton recomenda a utilização de brinquedos que incluam cordinhas. “Essa brincadeira libera a energia, desenvolve a força muscular e a habilidade de agarrar, mas é importante lembrar que deve ser praticada de forma controlada, com regras claras, sem estimular a agressividade e respeitando o limite do Pet“, ele afirma.

No caso dos gatos, o enriquecimento ambiental é uma prática que ganhou bastante destaque. A oferta de brinquedos interativos, com catnip, arranhadores, esconderijos e desafios mentais estimulam o instinto caçador dos gatos e evitam que se sintam entediados.

Cleiton lembra que é preciso também estar em dia com as visitas ao veterinário. “Dessa forma, o tutor garante que os brinquedos e borbordagens  estejam adequadas ao perfil de cada Pet, considerando idade, raça, temperamento e possíveis condições de saúde”, orienta Cleiton.

 

Para finalizar, o CPO da Petiko lembra que é preciso cuidado na hora da compra do brinquedo, observando a qualidade dos materiais e a garantia de segurança. “Proporcionar uma vida repleta de carinho e bem-estar, com estímulos seguros é a melhor forma de retribuir o amor incondicional que esses companheiros nos oferecem diariamente”, afirma.

Produtos Petiko

Os produtos da Petiko são desenvolvidos por especialistas em nutrição e bem estar dos pets e também estão à venda no SHOP.Petiko. Além disso, os assinantes do BOX têm desconto em todos os produtos e frete grátis.

O BOX.Petiko é entregue mensalmente aos assinantes com temas variados. Os valores mudam conforme a Trilha de Experiência selecionada, podendo ser: Essencial, Body Parts e Mordedores, com planos mensal, semestral e anual.

Para saber detalhes sobre o BOX.Petiko e conhecer as trilhas disponíveis, acesse o site https://box.petiko.com.br/ ou siga a empresa nas redes sociais.

Instagram: @petiko_br

image.png

Foto: divulgação

 

Sobre a Petiko

A Petiko,  criada em 2014, com sede em São Carlos (SP), é uma empresa de inovação pet com foco na experiência entre os tutores e seus pets, por meio da oferta de produtos e disponibilização de informações para milhares de amantes dos animais. Para isso, a companhia conta com um Laboratório de Inovação, que desenvolve produtos exclusivos, super premium para cães e gatos. Todo o trabalho é realizado por profissionais de diferentes áreas como medicina veterinária, biologia, publicidade e propaganda, design gráfico, linguística, engenharia e tecnologia. A missão é garantir experiência completa e entregar felicidade para os animais e seus tutores, que prezam pelo cuidado e garantia do bem-estar de seu animal de estimação.

A Petiko atua em três frentes:  BOX.Petiko, considerado o clube de assinatura de maior abrangência no Brasil; SHOP.Petiko: e-commerce de produtos para o dia a dia dos pets;  BLOG.Petiko, canal de informação sobre o mundo pet destinado aos tutores. O BLOG conta com dicas sobre saúde, alimentação, diversão e curiosidades.

A importância da tosa por raça e como isso impacta na saúde dos pets 

A profissão tosador vai além da estética animal, mas também envolve qualidade de vida e bem-estar para os peludos

Imagem: divulgação Nouvet.

Uma ida ao banho e tosa pode parecer algo comum para muitos tutores, porém, o que muitas pessoas não sabem é a importância que essa rotina tem na vida dos pets. O tosador, por exemplo, é um profissional que tem em suas mãos, diariamente, a missão de cuidar não só da estética dos nossos amigos peludos, mas também do bem-estar e da saúde dos pets.

Pouco é falado sobre como o tosador precisa ser, antes de tudo, um especialista no assunto. Ele entende como se dá a tosa por raça, qual é a diferença entre pelo e subpelo, entre outras características. Com tantas individualidades que impactam diretamente no sistema imunológico natural do pet, é essencial conhecer as necessidades de cada cão.

Tosa por raça é sinônimo de proteção

Pode parecer besteira para alguns tutores, mas as raças possuem especificidades que exigem um olhar profissional e atencioso do tosador. A tosa vai além da estética do cão, mas interfere principalmente na capacidade de proteção das áreas mais sensíveis. Um bom exemplo são raças como husky siberiano e chow-chow, que não podem ser tosadas na máquina. Neles, devem ser utilizadas apenas tesouras, a técnica que ficou conhecida no Brasil como trimming.

“O tosador lida com a responsabilidade diária de proporcionar cuidado e bem-estar para aquele pet durante os próximos dias e até semanas após a tosa. É essencial que todo esse procedimento seja realizado dentro das necessidades e individualidades do cão, evitando cortes excessivos de pelos, exposições de áreas vulneráveis, remoção do subpelo que controla a temperatura corporal, entre outros pontos, sempre prezando pela valorização das características únicas de cada animal — que, no final, é o que faz cada um ser especial da sua maneira”, afirma Kaio Costa, tosador do  Nouvet, um centro veterinário de nível hospitalar em São Paulo.

E os gatos?

A tosa para gatos não é tão comum quanto em cães, porém, em algumas situações específicas, ela pode ser indicada até por veterinários. Mesmo que a rotina de cuidado com os felinos seja diferente dos cachorros, já que eles costumam se lamber mais, ainda assim algumas raças como angorá, ragdoll e  maine coon podem necessitar de tosa, principalmente em períodos mais quentes do ano em que a escovação acaba não sendo o suficiente para aliviar os bichanos. Mas vale lembrar que os felinos necessitam de profissionais tosadores especializados, já que a tosa higiênica básica é a mais recomendada nesses casos.

O limite da estética pet

A conscientização através da humanização dos pets mostra aos tutores ou futuros pais de pets que tanto cães quanto gatos são seres vivos que necessitam de amor, carinho e cuidados individualizados. Desejos extravagantes, que ultrapassam o limite da saúde e bem-estar do pet, é o que liga o alerta de muitos especialistas, inclusive no universo da estética.

“Os tutores são parte essencial em qualquer processo estético, clínico ou emocional que o pet experiencie. Isso reflete inclusive na rotina de cuidados, como a tosa, que deve ser um momento de aprofundar conhecimentos nas individualidades do seu bichinho”, ressalta Costa.

Sobre o Nouvet

Nouvet é um centro veterinário com nível hospitalar de excelência, localizado no tradicional bairro dos Jardins, em São Paulo. Com atendimento 24 horas, a clínica abrange diversas vertentes de acolhimento às necessidades dos pets, como veterinários especialistas, centro estético e day care. Pensada para inovar e atingir o nível de excelência da medicina humana, o Nouvet conta com tecnologias de ponta para atender de forma premium o animal, acompanhado de seus respectivos tutores.

 

Beleza na Web amplia seu portfólio com categoria Pet 

Plataforma nativa digital, com foco em curadoria de beleza, investe no segmento de produtos estéticos e de bem-estar para animais

 São Paulo, agosto de 2023 – Beleza na Web, maior plataforma digital multimarca de beleza do Brasil, do Grupo Boticário, apresenta nova categoria voltada para pets, com foco no bem-estar e saúde dos bichinhos. A aposta reflete o posicionamento e reforça a estratégia da marca, oferecendo uma experiência única e completa para os apaixonados por beleza e, agora, para os seus animais de estimação. Nos últimos anos, segundo os dados do Abinpet (2020) e do Instituto PET Brasil (2021), a população brasileira de animais de estimação soma 144 milhões. Desses, 44% são cachorros.

Por meio de pesquisas de comportamento do mercado e do consumidor, pode-se notar a preocupação dos tutores com o bem-estar dos pets; e, com isso, surgem novas oportunidades para ampliar, por meio de novas categorias, o conceito de beleza. A nova categoria, Beleza Pet, está completamente ligada ao ecossistema da beleza e suas descobertas. O universo da beleza vai além do autocuidado, ele também contempla o bem-estar dos animais de estimação, que são parte integrante da vida de muitas pessoas. Por isso, a importância de celebrar a beleza cuidando de você e dos seus bichinhos.

A marca traz para essa categoria toda sua expertise de curadoria e oferece uma ampla gama de produtos, com mais de 100 itens e dez marcas do segmento, selecionadas cuidadosamente para acompanhar a rotina e as necessidades dos pets. De produtos para a hora do banho, cuidados diários e saúde e bem-estar, as marcas Granado, Pet Clean, Tangle Teezer e outras marcam presença no portfólio.

“Os estudos de mercado, como mencionado em uma pesquisa do Instituto Pet Brasil & Google Shopping, apontam o crescimento contínuo do mercado pet care, que hoje totaliza cerca de R$ 3 bilhões. Com isso, abre-se uma oportunidade para Beleza na Web trazer produtos diferenciados para o nicho na plataforma digital e lojas físicas”, afirma Maria Isabel Miranda, diretora-executiva da Beleza na Web. “Estamos felizes em anunciar essa categoria, que foi muito esperada e planejada estrategicamente dentro da visão de negócio. A Beleza Pet é reflexo do que buscamos oferecer para os nossos consumidores, uma curadoria minuciosa de marcas e produtos que visam oferecer uma experiência completa de compra e novas descobertas em um só lugar”, comenta a executiva.

As vendas já estão disponíveis e podem ser realizadas pelas plataformas digitais (site e aplicativo) da marca, tornando a jornada de compra mais rápida e fácil para o consumidor.

Sobre a Beleza na Web

Beleza na Web é a maior plataforma digital de beleza no Brasil, com um vasto portfólio de marcas exclusivas que vai desde produtos para cabelo e corpo até perfumaria e maquiagem, além de itens para bem-estar sexual, casa, pet e saúde. A empresa ainda possui uma seção exclusiva para profissionais do mercado chamada “Beleza na Web Pro” e um blog denominado “Loucas por Beleza”, considerado referência no setor. A marca reflete a evolução da plataforma e dos consumidores, reforçando o papel de facilitadora da beleza, com intuito de potencializar e fazer parte de uma jornada de descobertas.

Sobre o Grupo Boticário

Um dos maiores grupos de beleza do mundo, o Grupo Boticário é uma empresa brasileira presente em 50 países. É dono das marcas O Boticário, Eudora, Quem Disse, Berenice?, Beauty Box, Vult, O.U.i, Dr. Jones, Truss e do marketplace Beleza na Web, além de atuar com produtos licenciados, como Australian Gold e sua divisão para o mercado B2B. Essa interação entre diferentes marcas, ativos, plataformas, rede de franqueados, representantes, distribuidores, varejistas, sellers e fornecedores formam o ecossistema de beleza do Grupo Boticário, que oferece, ainda, soluções digitais de gestão de negócio para o varejo brasileiro por meio de suas marcas: Mooz, Casa Magalhães e GAVB. São mais de 15 mil colaboradores diretos, com mais de 4 mil pontos de venda em 1.780 cidades brasileiras.

Redes da marca:

https://www.belezanaweb.com.br

https://www.instagram.com/belezanaweb

SIMPOSIO DE LEISHMANIOSE NO VALE DO SAO FRANCISCO NESTE FINAL DE SEMANA

A Leishmaniose é uma zoonose que contamina seres humanos e animais, principalmente os cães. É um tipo de doença infecciosa, mas não contagiosa, causada por um protozoário do gênero leishmania e sua transmissão é através de um mosquito infectado.

Esta zoonose é frequente na região de Petrolina e pensando em difundir o conhecimento sobre a doença, o Colegiado de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) realizará o IV Simpósio de Leishmanioses do Vale do São Francisco (IV SIMLEISH) nos dias 30 de junho e 1º de julho.

O evento acontecerá no Cineteatro da Univasf, localizado no Campus Sede, em Petrolina (PE).

O IV SIMLEISH é destinado a estudantes e profissionais da saúde, porém demais interessados podem se inscrever. As inscrições devem ser realizadas através de formulário eletrônico. Para se inscrever é necessário pagar uma taxa de inscrição no valor de R$ 30,00 para estudantes de graduação; R$ 35,00 para discentes de pós-graduação; e R$ 40,00 para profissionais. O pagamento deve ser feito via pix. Durante a programação, haverá palestras e mesas redondas sobre as características da Leishmaniose, seus aspectos epidemiológicos, a sintomatologia em humanos e cães, o diagnóstico e tratamento, prevenção e controle. Além disso, haverá ações extensionistas que facilitarão o acesso da informação à população.

O simpósio, que é organizado pelo professor do Colegiado de Medicina Veterinária, Mauricio Claudio Horta, coordenador geral do evento, e alunos de pós-graduação e graduação da Univasf do Núcleo de Estudos em Zoonoses do Vale do São Francisco (Nezoon), Laboratório de Doenças Parasitárias da Univasf (Ladopar), contará com palestrantes de diversas áreas, como médicos, médicos veterinários, farmacêuticos, enfermeiros, agentes de saúde, entre outros.

Segundo Horta, Petrolina é considerada uma área de transmissão intensa, com uma média anual de aproximadamente 10 casos humanos por ano. Com isso, o objetivo do simpósio é capacitar estudantes e profissionais através do conhecimento acerca da epidemiologia dessa doença, que acomete os humanos e animais da região. “Nossas expectativas para esta edição são de ampliar participação de cursos e áreas da saúde no evento, além de trazer temas atuais sobre tratamento, controle e prevenção da doença”, declara.

Fabricação e venda da vacina contra leishmaniose é suspensa

Após fiscalização realizada constatar desvio de conformidade do produto

Layane Costa
Capital News

Campanha de vacinação antirrábica de cães e gatos segue até sexta-feira

Vacina contra a Leishmaniose é suspensa

Foi determinado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) a suspensão da fabricação e venda da vacina contra leishmaniose, a Leish-Tec. Após fiscalização realizada constatar desvio de conformidade do produto que pode ocasionar falta de eficácia da vacina, gerando risco à saúde animal e saúde humana, foi determinado o recolhimento de oito lotes. A empresa fabricante já iniciou o recolhimento do referido produto veterinário.

Conforme divulgado até o momento, oito lotes foram reprovados (029/22; 037/22; 043/22; 044/22; 060/22; 004/23; 006/23; 017/23) em análises realizadas sob acompanhamento oficial, por apresentarem teor de proteína A2 inferior ao limite mínimo estabelecido na Licença do Produto.

As investigações ainda estão em andamento e outras ações poderão ser adotadas.

A leishmaniose visceral é uma zoonose, sendo um grave problema de saúde pública. A doença é transmitida para animais ou humanos por meio da picada de insetos fêmeas infectadas, conhecido popularmente como mosquito palha, asa-dura, tatuquiras, birigui, dentre outros. No Brasil, a principal espécie responsável pela transmissão é a Lutzomyia longipalpis.

 

GRIPE NOS PETS, CUIDADO REDOBRADO NO INVERNO.

 
O inverno está chegando e, com ele, as doenças da estação. Assim como humanos, os pets também ficam mais suscetíveis a problemas de saúde durante os dias frios. Entre os mais comuns está a gripe de cachorro.
Também conhecida como gripe canina, a enfermidade ainda causa muitas dúvidas para os tutores. Pensando nisso, elaboramos alguns tópicos para sanar recorrentes dúvidas. Confira!

1 – O que é a gripe de cachorro?

A gripe canina é uma doença causada pelo vírus da gripe, também chamado Influenza A. Esse vírus, muito contagioso, é transmitido pelos pets que já estão doentes.

Ele ataca o organismo do cachorro, debilitando as defesas e causando sintomas como fraqueza, dores, tosse e coriza. O que gera a preocupação de saber quanto tempo dura a gripe canina. Mas, apesar de ser bastante incômoda, a gripe de cachorro costuma não ser grave e, com um bom tratamento, em poucos dias seu amigo já estará recuperado.

2 – É uma doença grave?

Quem olha para um cãozinho gripado certamente fica com o coração partido! Os cachorros ficam manhosos e carentes durante esse período. E não é pra menos, a gripe de cachorro é muito desconfortável!

Contudo, ela não costuma ser grave e nem causar problemas mais sérios. Com o cachorro gripado, o tratamento correto e um bom acompanhamento farão toda a diferença! Por isso, nunca deixe de visitar o veterinário para um diagnóstico preciso.

3 – Gripe de cachorro passa para humanos?

Essa é uma dúvida muito comum, principalmente para as famílias com crianças. Apesar de causar sintomas muito parecidos, o vírus da gripe de cachorro não ataca humanos. Ou seja, você vai poder cuidar do seu filho de quatro patas sem medo!

O vírus da gripe canina é transmitido de um cão doente para outro cão. Essa transmissão se dá pelo contato, que pode acontecer quando eles dividem um comedouro, brincam em um parque ou mesmo interagem por um breve momento. Bem parecido com a gripe humana, não é mesmo?

4 – Quais são os sintomas?

Eles são muito semelhantes aos de qualquer gripe. Ou seja: o pet fica desanimado, cansado, com dores e sem energias. Os principais sinais da gripe canina são:

  • Apatia;
  • Coriza;
  • Tosse insistente;
  • Perda de apetite;
  • Febre,
  • Mucosa excessiva e avermelhada nos olhos.

Mas, fique atento! Nem todos os cachorros apresentam todos os sintomas. Além disso, sinais como apatia e febre podem indicar outras doenças, mais graves. Por isso, sempre que perceber qualquer problema na saúde do seu amigo, visite um veterinário.

5 – Qual o remédio para gripe de cachorro?

Assim como quando estamos resfriados, o cachorro com gripe precisa de descanso, boa alimentação e muita água. Apesar de ser fácil encontrar várias dicas de remédio para gripe de cachorro feitos em casa, fique longe de receitas milagrosas!

Tratamentos sem supervisão podem comprometer a saúde de seu amigo e complicar uma doença simples. Também não pense em dar dipirona ou outro remédio humano para gripe de cachorro. Isso pode mascarar os sintomas e levar a um diagnóstico equivocado.

O ideal é seguir o tratamento proposto pelo veterinário que, além de descanso, nutrição e hidratação, pode envolver antibióticos e anti-inflamatórios específicos para cães.

6 – Como evitar que meu pet fique doente?

Para evitar que seu amigo sofra com gripe de cachorro ou outros problemas, o melhor é prevenir. Algumas dicas simples podem ajudar a promover uma saúde de ferro ao seu animal:

  • Mantenha sempre em dia as vacinas e não se esqueça de fornecer vermifugação regular;
  • Lembre-se de que exercícios são excelentes para uma boa imunidade e estimule seu filho de quatro patas com caminhadas e brincadeiras;
  • Ofereça uma ração de qualidade, com os nutrientes e vitaminas necessários para a manutenção de uma boa saúde,
  • Faça visitas regulares ao veterinário para acompanhar o desenvolvimento de seu cãozinho.

E lembre-se: mesmo uma doença simples deve ser acompanhada por especialistas de saúde. Afinal, você não quer que seu filho de quatro patas se sinta mal, não é mesmo?

Fonte : Petz

Você sabia que os pets não podem comer chocolate? Confira algumas dicas 

 

Chocolate, hummm, essa delícia está no dia a dia de muitos brasileiros. Mas o que poucos sabem é que os nossos pets não podem comer chocolates, nem mesmo em pequenas quantidades.

Acontece que os chocolates possuem ingredientes que são tóxicos ou que podem fazer mal aos pets se ingeridos. Este é o caso da Teobromina, uma substância presente no cacau, encontrada em maior quantidade em chocolates mais escuros do tipo amargo ou culinário. A Teobromina pode intoxicar os pets, pois eles não possuem capacidade para metabolizar-la.

A intoxicação por chocolates em cães e gatos pode levar a:
  • Vômitos e diarreias agudas
  • Arritmias cardíacas
  • Taquicardia
  • Espasmos musculares
  • Distensão e dores abdominais
  • Convulsões
  • Morte

Os sintomas podem surgir de 4 a 6 horas após o consumo do chocolate, e a gravidade pode variar de acordo com a quantidade ingerida, o tipo do chocolate, o peso do pet e o seu estado de saúde.

Chocolates brancos, mesmo contendo quantidades menores de cacau, também não devem ser consumidos pelos pets, pois além de possuírem muito açúcar, também contém grandes quantidades de gordura, o que é prejudicial à saúde dos animais, podendo provocar hiperglicemia, colesterol, alterações no pâncreas e até predisposição a Diabetes.

Deve-se ter cuidado também com as embalagens dos ovos, ou até brinquedos pequenos que venham dentro deles. Os pets podem acabar ingerindo esses objetos em uma brincadeira ou momento de curiosidade, correndo o risco de ficarem obstruídos por esses corpos estranhos.

Se perceber que o pet veio a ingerir chocolates acidentalmente, leve-o ao médico-veterinário de sua confiança para que a tratativa seja tomada o mais rápido possível.

onte : Special Dog


DOENÇAS DE PELE, PODEM SER A CAUSA DAS COCEIRAS NOS PETS.

Se o seu cachorro está se coçando muito e se mordendo, sinal que pode estar com problemas de pele.

As doenças mais comuns são as causadas por alergias e existem várias maneiras de controlar a coceira e as alergias em cães. Às vezes, você pode fazer certas coisas em casa para prevenir ou aliviar uma coceira leve antes que ocorra uma infecção. Já em outros casos, você precisará consultar o seu veterinário.

Deixar de controlar as alergias do seu cão pode levar a outros problemas, como perda de pelos e infecções de pele. Separamos 5 dicas de como ajudar a controlar alergias em cães.

1 – Fale com o veterinário

Ligue para o veterinário do pet logo nos primeiros sinais de coceira. Em alguns casos, ele pode dar alguma recomendação inicial antes de realizar a consulta. Mas se a coceira continuar ou você notar queda de pelo, vermelhidão, irritação ou descamação, leve seu pet o quanto antes para a avaliação do profissional.

Se for diagnosticada uma alergia, o médico-veterinário do seu pet fará algumas recomendações que devem ser seguidas fielmente para evitar que os problemas voltem. Casos leves a moderados podem ser tratados com medicamentos para aliviar a coceira e, possivelmente, produtos para a higienização e hidratação da pele do seu doguinho. Ah, mas se ele tiver pulgas e/ou carrapatos é necessária a eliminação destes inimigos da pele, pois essa pode ser a causa da alergia do seu cãozinho.

Cumpra as recomendações de medicamento, via de aplicação, frequência e duração do tratamento que o veterinário do seu pet prescreveu e retorne para consultas de acompanhamento conforme recomendado.

 

2 – Previna seu pet de pulgas e carrapatos

Bom, você já viu que pulgas e carrapatos podem estar causando alergia ao seu pet. Por isso, todos os cães devem fazer uma prevenção eficaz contra pulgas e carrapatos o ano todo. Para alérgicos, a prevenção é ainda mais importante. Os cachorros com alergia a picada destes ectoparasitos (que quer dizer parasitas externos) podem reagir a poucas picadas, sendo que quanto mais, a reação alérgica será ainda mais séria. Muitas vezes nós nem conseguiremos ver estes parasitas no cão, pois eles podem mastigá-los devido a coceira gerada.

3 –  Dê banho no seu cachorro regularmente

Para pets alérgicos a rotina de banhos pode ser numa frequência até maior que semanal, desde que tenha sido estabelecida pelo médico-veterinário. Na frequência de uma a duas vezes por semana, utilize shampoos suaves com formulação hidratante, feitos especialmente para pets. Produtos de pele com componentes hidratantes como aloe vera, fitoesfingosina, vitaminas farão muito bem para a pele do seu “aumigo”. Também podem ser utilizados produtos como sérum e spray hidratante para combater a desidratação e descamação da pele.

Seu veterinário pode prescrever um shampoo medicamentoso para problemas de pele mais graves. Ao dar banho no seu peludo, não se esqueça de verificar e limpar as orelhas, pois são áreas que costumam apresentar infecções secundárias em pets com alergias.

 

4 – Escolha a comida certa

Alimente seu cão com uma dieta de alta qualidade feita com ingredientes saudáveis. Isso pode significar coisas diferentes para cães diferentes. Assim como acontece com os humanos, a qualidade dos ingredientes que se ingere pode realmente afetar a saúde geral do seu amigo de quatro patas. Se houver suspeita de alergia alimentar, seu veterinário pode recomendar uma mudança na dieta. Isso geralmente envolve uma dieta com ingredientes limitados e especiais com uma nova proteína (como peixe, pato, carne de veado, etc.). Frango e carne são responsáveis pela maior parte das alergias alimentares nos cães.

 

5 – Escolha a cama ideal

Considere comprar camas de espuma para cães, pois são menos propensas a abrigar alérgenos comuns, como os ácaros. Substitua as camas dos cães anualmente, independentemente do material. Em caso de alergia ambiental, lave as colchas dos cães semanalmente com um detergente sem fragrância e corante. Coloque um forro hipoalergênico em camas para animais de companhia.
Fonte : Ourofinopet

VERÃO! VEJA CUIDADOS COM OS PASSEIOS COM SEU PET.

Passear com os pets no verão, é quase um desafio. Principalmente com os que sofrem nessa estação com a respiração, como pugs, buldogues, que são os mais prejudicados.

Os animais também sentem calor, por mais que a gente não os sinta transpirando, eles podem ter alguns comportamentos que evidenciam que eles estão sofrendo com a alta temperatura e também podem transpirar, mas por lugares diferentes.

Os animais não apresentam glândulas sudoríparas para a liberação do calor, então eles necessitam de outras alternativas para diminuir a temperatura corporal.

Os cachorros transpiram através da língua, enquanto os gatos sofrem nas almofadinhas das patinhas. Portanto, alguns cuidados devem ser colocados em dia para que o seu pet não passe tanto calor em uma das épocas mais quentes do ano.

Como saber se meu pet está com calor?

O ideal é prestar atenção no comportamento. Verifique se a respiração do seu cão está mais ofegante, se a salivação está excessiva, confusão mental e até mesmo apatia. Todos esses são sintomas de que está na hora de refrescar o seu amigo!

É importante manter seu pet refrescado nesses dias pois o calor intenso pode dar início à hipotermia, o que pode ser extremamente perigoso.

Veja a seguir algumas dicas de como manter o seu pet bem nos dias de verão.

Garanta a hidratação

Em dias de temperaturas altas é importante que você garanta que o seu pet esteja bem hidratado, já que é preciso repor o líquido que foi perdido por conta do suor.

Mesmo que você não perceba alguns detalhes no comportamento, ofereça água e deixe à disposição.

Passear com cachorro no verão em horários específicos

Com os dias quentes, o asfalto costuma ficar extremamente quente e nós humanos sentimos um grande desconforto em andarmos descalços, e com os cães não é diferente.

De manhã procure passear antes das 10h da manhã, quando os raios do sol ainda não estão muito quentes, ou se preferir vá após as 16h, quando o sol já está indo embora.

Em casa também tome o cuidado de deixar o ambiente o mais refrescante possível, pois os pisos dentro de casa também podem ficar desagradáveis para os animais.

Banhos e tosas

Banhos sempre são uma saída para ajudar seu pet a se refrescar, então mantenha o hábito com mais regularidade.

Se o seu cão tem muitos pêlos, outra boa alternativa para refrescá-lo é aderir à tosa. Lembrando que a tosa não deve ser feita muito rente à pele, já que os animais tem uma pele muito sensível e uma tosa muito próxima da pele pode gerar problemas para a saúde.

 

Mantenha seu amigo em locais frescos

Para passear com o cachorro no verão, além de procurar sair apenas em horários mais frescos, sempre procure deixar o seu pet à vontade em lugares mais gelados.

Não o deixe em locais fechados e sem circulação de ar. Quando sair, procure se manter na sombra ou em locais mais frescos e sempre ofereça água para o seu amigo. Leve uma garrafa para você e outra para o seu animal de estimação.

Aposte nos protetores solares

Assim como para os humanos, os animais também necessitam de proteção contra os raios ultravioletas. Nos cães, a exposição sem proteção pode causar doenças sérias de pele como a dermatite actínica e câncer de pele.

No mercado é possível encontrar alguns protetores destinados para os cães e auxiliam nos dias que o sol está escaldante.

Do contrário do que pode-se imaginar, não é somente na praia que os protetores devem ser aplicado nos cães, pois assim como seus tutores, os cães ficam expostos mesmo dentro de casa, então o indicado é passar o protetor diariamente.

Os donos de cachorros com a pelagem branca inclusive, devem ficar bem atentos e criar o hábito do protetor diário.

A dica para os cães de pelagem longa é bem simples: procure passar o protetor em áreas com uma quantidade menor de pelos como focinho, orelhas e barriga.

A reaplicação deve acontecer, assim como nos humanos, de 2 a 3 vezes por dia. Mas não é recomendável apostar nos mesmos protetores que você utiliza, então é recomendável ir até um veterinário para ele indicar qual é o melhor produto para o seu animal de estimação.

Cuide bem da saúde do seu pet

Agora que você já sabe como proteger o seu pet, lembre-se de cuidar bem da higiene dele. Além de garantir uma boa saúde, a higiene do seu pet pode ajudar também a em dias quentes.

Leve-o ao médico veterinário com frequência e garanta todos os cuidados que ele necessitará ao longo da vida.

Cuidados com os pets nas festas de final de ano.

Veja dicas para aproveitar o final do ano com seu pet de forma segura e agradável!

Na hora de confraternizar com a família, nada mais justo do que incluir os pets nas festas de final de ano, porém alguns cuidados são necessários. Preparamos então algumas dicas de cuidados para que esses momentos sejam muito proveitosos e seguros:

Mantenha objetos pequenos longe do alcance

Deve-se ter cuidado para não deixar ao alcance dos animais objetos pequenos que possam chamar a atenção para morder ou engolir. Um exemplo muito comum é a árvore de Natal que, por conter muitos enfeites em formatos de brinquedos, acaba chamando a atenção dos animais, principalmente gatos. Outros objetos comuns nessa época também podem oferecer riscos, como velas acesas, embalagens e fitas. Por isso é sempre importante estar atento para que eles não engulam os enfeites ou até mesmo mordam as luzes e acabam tomando choques ou se machucando

Atente-se a plantas tóxicas

Outro ponto de atenção são algumas plantas natalinas que podem ser tóxicas aos animais. Um bom exemplo é a poinsétia, também conhecida como bico-de-papagaio ou flor-do-natal, que é comumente utilizada como adorno nessa época do ano e é extremamente tóxica a cães e gatos. Caso o seu animal tenha entrado em contato com essa planta, alguns sintomas que ele pode apresentar são vômitos, diarréia, tremores, salivação e dermatites. Nessa situação, leve o seu animal para o médico-veterinário mais próximo.

É normal que alguns tutores queiram agradar os pets com petiscos ou comidas disponíveis na mesa de jantar. Entretanto, muitos alimentos de consumo humano são tóxicos para os animais, podendo transformar um simples gesto de carinho em sérios problemas de saúde.

Para evitar que isso aconteça na sua casa, separamos alguns exemplos de alimentos comuns em festas de final de ano que são altamente tóxicos para os pets:

  • Chocolate (chocotone, bombons, sobremesas em geral)
  • Uva e uvas passas (panetone, arroz com uvas-passas)
  • Comidas temperadas com alho e cebola
  • Bebidas alcoólicas

Ao serem ingeridos pelos pets, esses alimentos podem causar vômito, diarreia, apatia, desidratação, paralisia e, em muitos casos, podem levar ao óbito. Infelizmente, o tratamento dessas intoxicações são somente paliativos, e pequenas doses desses alimentos já podem fazer com que não seja possível salvar a vida do animal.

Outros alimentos merecem uma atenção especial ao estarem perto dos animais, como ossos em geral (peru, chester, frango, pernil suíno), espinhas de peixe (bacalhau) e frutos do mar.

É importante ficar atento a esses alimentos e sempre contactar um médico-veterinário. Para evitar que acidentes aconteçam, há uma grande variedade de petiscos e alimentos específicos para animais, que podem ser oferecidos para eles durante a confraternização.

fogos de artificio

Os pets sofrem com os fogos de artifício

Previna-se quanto aos fogos de artifício

Nesta época do ano, o uso de fogos de artifício é uma prática muito comum. Para pets, eles podem apresentar uma real ameaça, principalmente porque a maioria dos fogos de artifício têm estouros altos. Para uma parcela dos animais, a queima de fogos pode ser um momento estressante. Isso acontece porque cães e gatos possuem audição mais aguçada do que os seres humanos. Dessa forma, o barulho para eles é muito mais alto e, consequentemente, mais desconfortável.

Nesses casos, os pets podem apresentar sinais de medo, estresse e ansiedade, por vezes resultando até em fuga da própria casa, numa tentativa de buscar abrigo ou se esconder dos barulhos.

Pensando nesse cenário, separamos algumas orientações:

  • Para minimizar a intensidade do barulho, pode-se colocar um chumaço de algodão no ouvido dos animais, retirando-o quando acabar a queima de fogos.
  • É importante que o proprietário transmita calma e segurança para o animal neste momento. Punições podem piorar o quadro de estresse do animal.
  • Caso o animal tenha que ficar sozinho, é preciso mantê-lo em um ambiente fechado e seguro e, se possível, onde o barulho possa ser de menor intensidade. Janelas e portas precisam estar fechadas para minimizar os sons e evitar a fuga. Se possível, pode-se afastar os móveis para impedir que o animal tente escalar e acabe por se lesionar.
  • Caso o ambiente possua telas de proteção, principalmente quando é uma residência que possui gatos, é interessante que as telas sejam checadas para garantir a proteção dos animais.
  •  É importante que os pets estejam sempre com suas coleiras com placas de identificação contendo o telefone do proprietário.
  •  Para animais que já apresentam sintomas de ansiedade com queima de fogos, a companhia do tutor durante esse momento fará com que ele se sinta mais seguro. Procure não deixá-lo sozinho.
  • Procure um médico-veterinário para obter outras instruções que garantam a segurança do seu animal. Somente ele pode sugerir o uso de uma medicação (caso seja necessário) e auxiliar com terapias específicas para este tipo de transtorno.
Fonte: Special Dog Company
Por @marlipress @diganaoaleishmaniose  

Verão chegando, viagens, redobre os cuidados.

 vacina-de-cachorro-2.jpg
A vacinação do seu pet está em dia? 
O Verão está aí e com ele, viagens e passeios com os pets.  Com isso precisamos redobrar os cuidados e isso  inclui diversos além de repelentes,  a vacinação para cães e gatos. Afinal, é ela que vai garantir não só a imunização do pet, como também o contágio de humanos, afinal, algumas dessas doenças são transmissíveis para nós.
Levar o pet para uma primeira consulta com o veterinário e seguir à risca o calendário de vacinação estabelecido por ele é essencial para que ele fique sempre protegido. 
 

Vacina polivalente: a primeira proteção do pet

Quem é ou já foi tutor de cachorro, com certeza já ouviu falar em termos como V8 ou V10. Também conhecidas como vacinas múltiplas, elas correspondem à primeira proteção administrada aos nossos filhos de quatro patas.

Diferentemente de outras vacinas, como a antirrábica, a vacinação para cães com a polivalente é feita em 3 doses, sendo a primeira quando o pet tem entre 6 a 8 semanas de vida, a segunda após um intervalo de duas a quatro semanas da primeira dose, e a terceira quando o pet tiver alcançado 16 semanas.

Doenças que a vacina previne

É interessante destacar que o pet só fica realmente protegido depois que recebe a última dose da vacina polivalente. Por isso, não é recomendado passear com ele ou colocá-lo em contato com outros cães antes dessa fase. Confira as doenças evitadas com a V10:

  • Cinomose: infecção viral muito contagiosa e altamente letal, acomete o sistema nervoso central, causando paralisia, convulsões e diversas sequelas no cachorro;
  • Hepatite infecciosa canina: transmitida por meio do contato com fluidos do animal infectado, afeta o fígado canino, podendo levar à morte;
  • Parvovirose: altamente contagiosa, ela causa diarreias que podem levar a quadros graves de desidratação, sendo especialmente perigosa para filhotes;
  • Coronavirose: também conhecida como gastroenterite contagiosa dos cães, causa diarreias que colocam o pet em risco.
  • Adenovirose: transmitida por vírus, é responsável por causar doenças respiratórias com evolução para pneumonias;
  • Parainfluenza canina: assim como a adenovirose, pode levar à problemas respiratórios com consequências graves,
  • Leptospirose: os principais sintomas são vômito, diarréia, hemorragias e dificuldade de respirar. Ao todo, a vacina polivalente protege o pet contra 2 (V8) ou 4 (V10) tipos de leptospira.

Reforce a vacinação para cães!

Terminado o primeiro ciclo de vacinas para cães, com a vacina múltipla, um reforço deverá ser feito anualmente, de acordo com o calendário de vacinação, para deixar o seu melhor amigo sempre protegido.

Vacina antirrábica: proteção para o pet e para nós

Fatal em quase 100% dos casos, a raiva é uma doença que afeta boa parte dos mamíferos, incluindo os humanos. Após o surgimento dos primeiros sintomas, como agressividade, alucinações, espasmos, entre outros, a evolução da raiva é muito rápida. Em geral, o animal infectado morre em sete dias.

Graças à conscientização sobre a importância da vacinação para cães — e também às campanhas que promovem vacina para cachorro gratuita — hoje em dia, a raiva em humanos foi praticamente erradicada no Brasil. É fundamental administrar a vacina antirrábica nos pets, para garantir que ela continue sendo rara.

Normalmente, a primeira dose é administrada após a 12ª semana de vida do pet, e é necessário vacinar o cachorro todo ano para garantir sua eficácia.

Outras vacinas recomendadas

Tanto a vacina polivalente quanto a antirrábica são consideradas essenciais. No entanto, existem casos em que o veterinário pode recomendar, também, outras vacinas. Conheça algumas delas:

  • Gripe canina: altamente contagiosa, a doença ocorre com maior frequência no inverno, e a vacina é indicada para cães que convivem com muitos outros cachorros em creches, hotéis, etc;
  • Giárdia: transmissível para humanos, provoca dores abdominais, diarreias e pode levar à desidratação. Não é obrigatória, mas é recomendada para assegurar o bem-estar do pet,
  • Leishmaniose: uma doença parasitária, ela ataca o sistema imunológico do animal e do humano. Transmitida por um flebotomínio, mosquito especifico para esta doença, é necessária a vacinação em qualquer local, mesmo que não seja endêmico, pois ao sair para parques e praças, não sabemos ao certo se esses mosquitos circulam por locais não endêmicos. A  prevenção é a melhor opção!

Calendário de vacinação canina

Agora que você já conhece as principais vacinas para cachorro, é hora de saber quando cada uma delas deverá ser administrada e montar a tabela de vacinação para cães específica para o seu pet.

  • Entre 6 e 8 semanas: primeira dose da vacina polivalente V8 ou V10, com intervalo de 2 a 4 semanas entre cada dose, totalizando 3.
  • A partir de 12 semanas: dose única de vacina antirrábica.
  • A partir de 16 semanas: dose única das demais vacinas, como giardia, gripe e leishmaniose.
Depois de administradas as primeiras doses da vacina, o reforço é anual e deve seguir as datas determinadas previamente pelo veterinário. O reforço é necessário para que sempre haja anticorpos circulantes no organismo.
 

Lembre-se que para garantir a segurança e a eficácia da imunização do pet, é importante que as vacinas sejam aplicadas somente por profissionais de confiança, em clínicas especializadas.

Fonte : Petz  – www.diganaoaleishmaniose.com.br

@marlipress @diganaoaleishmaniose

Cuidados básicos com o pet na hora do banho

Vai dar banho em casa?
Então você precisa saber dessas dicas importantes.
Muitos donos de pets estão optando por dar banho em casa ao invés de levar o animal de estimação em um lugar específico. Mas para que tudo corra bem, é preciso ficar atento aos cuidados básicos na hora de dar banho em cães e gatos em casa.
TEMPERATURA DA ÁGUA
Dar banho em um pet é muito semelhante a um bebê, pois a água precisa estar morna. A dica é sentir no antebraço para ver se a temperatura está agradável. Jamais use água muito quente, pois pode queimar a pele do animal, ou água gelada, que pode gerar hipotermia.

CUIDADOS ESPECIAIS
É preciso tomar cuidado com a região da cabeça em geral, em especial orelhas e olhos. Em relação às orelhas, o ideal é o uso de algodão para que a água não entre no conduto auditivo – é MUITO importante retirá-los logo após o banho. Já em relação aos olhos, é importante manter a cabeça do animal levantada para não escorrer o shampoo na região, evitando assim uma possível irritação.
SHAMPOO IDEAL
O shampoo precisa ser levado em consideração, já que existem diversas marcas à venda e nem sempre elas são as melhores à pelagem do animal. Vale a pena perguntar a um profissional qual é o melhor shampoo indicado para a raça do seu animal, pois a sensibilidade da pele e o pelo mudam bastante.

CUIDADOS NA SECAGEM 
Na hora de secar, o secador é item obrigatório. O ideal é secar o animal com secador em temperatura morna e nunca deixar o pet exposto ao frio após o banho.
LEMBRE-SE SEMPRE
Como com uma criança, esse é um momento precioso de contato com o seu pet, por isso aproveite para mimá-lo e deixa-lo bem relaxado além de limpinho e cheiroso. Até a próxima!

 

Tagged , , , , , , , , , , , , , , ,

LUTO DOS PETS. UMA DOR SILENCIOSA.

depressao-felina Cachorro chorando 03Dia 2 de Novembro, será o feriado de finados e sabemos como os pets também sofrem com a perda de seus donos.
Eles seguem a  pessoa que era o mundo todo deles o dia todo, ou pelo menos o tempo que estão juntos. Daí acontece o desligamento repentino, os rastros de seu cheiro vão ficando cada vez menos evidentes e, apesar da total atenção em busca de sua voz, nada é encontrado.
Talvez essa descrição resumida possa dar conta do grau de confusão que se instala no universo interno de​les​​ quando seu dono some. Um animal não racionaliza se é por morte ou se é porque foi abandonado, mas a maneira brusca com que isso acontece tem o poder de bagunçar bastante a vida do ​animal​.​

​Isso aconteceu muito ​na ​pandemia.​ Os animais ​foram​ vítimas indiretas dela. Tutores falecidos, famílias enlutadas ou endividadas, cães órfãos ou descartados. ​foi um ​cenário extremamente triste, que ​reflete ainda hoje.

​Nesse caso, o melhor a fazer é o acolhimento com muita atenção e amor. ​

O luto animal ainda é pouco estudado, mas há evidências empíricas que os ​animais​​ experimentam emoções desafiantes quando o vínculo com o dono é quebrado. O resultado pode ser a depressão, essa sim um patologia reconhecida na espécie. Cargas emocionais também podem afetar o sistema imune, deixando-os mais suscetíveis a doenças.

As reações variam de animal para animal e também têm relação com o nível de apego com o dono. Quando o ​pet​, ​ e o tutor viviam sozinhos, por exemplo, a dificuldade de se reajustar a uma nova realidade pode ser bem maior para  ​ele​l. Para decifrar o estado emocional de um ​pet​ depois de perder um ente querido, é importante ficar atento. A ansiedade e o estresse podem se apresentar de várias maneiras.

Cada animal pode reagir de forma diferente à ausência do dono. A mudança de comportamento está ligada ao grau de dependência mantida com o tutor.

perda de apetite;
dormir mais do que o normal;
prostração e isolamento;
menor interesse por brincadeiras;
inatividade e apatia;
uivos ou latidos incontroláveis;
depressão;
distúrbios gastrointestinais;
problemas dermatológicos;
irritabilidade;
agressividade;
ansiedade.​                                                             

O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA AJUDAR O ANIMAL​

Se haviam habitos muito fixos com o tutor, tente criar outra coisa para o cão fazer naquele horário;
Esteja presente. Mesmo que o cão fique mais na dele, evite deixá-lo totalmente sozinho nas primeiras semanas, até perceber que ele está voltando ao normal;
Aumente as doses de carinho, incluindo o toque nele (é assim que o vínculo vai se construindo), e sugira brinquedos novos — mas respeite a vontade dele;
Evite alimentar a saudade. Ou seja, recolha pertences pessoais ou íntimos do antigo tutor, como roupas, bolsas ou sapatos;
Apresente ao cão novos estímulos, principalmente para o olfato, incluindo passeios por novas rotas ou parques onde possa ter contato com outros cães;
Enriquecimento ambiental. Em complemento ao item anterior, crie um ambiente mais estimulante para a mente do cão;
Se você conhece os gostos dele, não hesite em mimá-lo. Isso vai ajudá-lo a se sentir seguro novamente;
Fique atento quanto ao consumo de água e alimentos. Varie o cardápio para estimular sua vontade. Se a falta de apetite ou a baixa ingestão de líquido persistir, busque atendimento veterinário;
Atenção também à regularidade das necessidades fisiológicas.
Na verdade, eles são mesmo como filhos que perderam seus pais, totalmente indefesos e sem poder expressar em palavras a sua dor.
Fonte: totosdatete.org.br

LUTO DOS PETS, UMA DOR SILENCIOSA.

Dia 2 de Novembro, será o feriado de finados e sabemos como os pets também sofrem com a perda de seus donos.
Eles seguem a  pessoa que era o mundo todo deles o dia todo, ou pelo menos o tempo que estão juntos. Daí acontece o desligamento repentino, os rastros de seu cheiro vão ficando cada vez menos evidentes e, apesar da total atenção em busca de sua voz, nada é encontrado.
Talvez essa descrição resumida possa dar conta do grau de confusão que se instala no universo interno de​les​​ quando seu dono some. Um animal não racionaliza se é por morte ou se é porque foi abandonado, mas a maneira brusca com que isso acontece tem o poder de bagunçar bastante a vida do ​animal​.​

​Isso aconteceu muito ​na ​pandemia.​ Os animais ​foram​ vítimas indiretas dela. Tutores falecidos, famílias enlutadas ou endividadas, cães órfãos ou descartados. ​foi um ​cenário extremamente triste, que ​reflete ainda hoje.

​Nesse caso, o melhor a fazer é o acolhimento com muita atenção e amor. ​

O luto animal ainda é pouco estudado, mas há evidências empíricas que os ​animais​​ experimentam emoções desafiantes quando o vínculo com o dono é quebrado. O resultado pode ser a depressão, essa sim um patologia reconhecida na espécie. Cargas emocionais também podem afetar o sistema imune, deixando-os mais suscetíveis a doenças.

As reações variam de animal para animal e também têm relação com o nível de apego com o dono. Quando o ​pet​, ​ e o tutor viviam sozinhos, por exemplo, a dificuldade de se reajustar a uma nova realidade pode ser bem maior para  ​ele​l. Para decifrar o estado emocional de um ​pet​ depois de perder um ente querido, é importante ficar atento. A ansiedade e o estresse podem se apresentar de várias maneiras.

Cada animal pode reagir de forma diferente à ausência do dono. A mudança de comportamento está ligada ao grau de dependência mantida com o tutor.

perda de apetite;
dormir mais do que o normal;
prostração e isolamento;
menor interesse por brincadeiras;
inatividade e apatia;
uivos ou latidos incontroláveis;
depressão;
distúrbios gastrointestinais;
problemas dermatológicos;
irritabilidade;
agressividade;
ansiedade.​                                                             

O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA AJUDAR O ANIMAL​

Se haviam habitos muito fixos com o tutor, tente criar outra coisa para o cão fazer naquele horário;
Esteja presente. Mesmo que o cão fique mais na dele, evite deixá-lo totalmente sozinho nas primeiras semanas, até perceber que ele está voltando ao normal;
Aumente as doses de carinho, incluindo o toque nele (é assim que o vínculo vai se construindo), e sugira brinquedos novos — mas respeite a vontade dele;
Evite alimentar a saudade. Ou seja, recolha pertences pessoais ou íntimos do antigo tutor, como roupas, bolsas ou sapatos;
Apresente ao cão novos estímulos, principalmente para o olfato, incluindo passeios por novas rotas ou parques onde possa ter contato com outros cães;
Enriquecimento ambiental. Em complemento ao item anterior, crie um ambiente mais estimulante para a mente do cão;
Se você conhece os gostos dele, não hesite em mimá-lo. Isso vai ajudá-lo a se sentir seguro novamente;
Fique atento quanto ao consumo de água e alimentos. Varie o cardápio para estimular sua vontade. Se a falta de apetite ou a baixa ingestão de líquido persistir, busque atendimento veterinário;
Atenção também à regularidade das necessidades fisiológicas.
Na verdade, eles são mesmo como filhos que perderam seus pais, totalmente indefesos e sem poder expressar em palavras a sua dor.
Fonte: totosdatete.org.br

Tagged , , , ,

Pets com necessidades especiais, vida FELIZ!

Ah! Os especiais…..

Vamos falar um pouco sobre os pets com necessidades especiais, eles são seres que necessitam de cuidados, carinho e atenção, assim como qualquer outro. Cães e gatos podem apresentar deficiências congênitas ou adquiridas devido aos maus tratos, desenvolvimento de doenças ou velhice.

Os pets especiais, apesar das limitações físicas, tem total capacidade de adaptação e podem viver uma vida saudável e feliz junto de suas famílias. É comum que os animais deficientes demorem mais tempo para serem adotados em abrigos, devido ao preconceito, à falta de informação e ao receio do tutor sobre como cuidar do bichinho.

A questão financeira também é uma preocupação, mas nem sempre um animal deficiente é um animal que dá muitas despesas médicas e trabalho. Dependendo da deficiência, o pet não vai necessariamente requerer tratamento veterinário específico e contínuo. 

Entre as deficiências mais comuns estão a cegueira, sequelas causadas por doenças, problemas motores causados por velhice,  atropelamentos e violência contra os animais. 

Cuidar de um pet com necessidades especiais não precisa ser um bicho de sete cabeças e nós vamos apresentar algumas formas de tornar o dia-a-dia deles mais confortável e seguro dentro do lar. 

Cegueira – A cegueira nos cães, assim como nos humanos, podem ser causadas por diversos motivos: catarata, glaucoma, lesões na córnea, diabetes, entre outras doenças. Se tratadas precocemente, é possível preservar a visão dos pets. Para isso, esteja atento e leve seu filho de 4 patas para consultas de rotina ao veterinário.  

Para ajudar os pets nesta condição, mantenha a água e o alimento deles sempre no mesmo lugar, evite trocar os móveis da casa de posição, use brinquedos sonoros para que ele possa localizá-los e tenha cuidado extra na segurança. Em caso de escadas e piscinas, utilize grades e telas de proteção para prevenir acidentes. 

Surdez – A surdez nos cães pode ser congênita, desenvolvida por velhice ou por falta de cuidados com os ouvidos do animal que são muito sensíveis. 

Para ajudar os pets com surdez, procure educá-los com sinais com as mãos, oferecendo petiscos como estratégia de associação positiva. 

Deficiências de Locomoção – A paraplegia e outras deficiências de locomoção em cães e gatos podem ser causadas por fatores congênitos, atropelamento, maus tratos, doenças virais e velhice. 

Para ajudar um animal com dificuldades motoras, existem cadeiras de rodas que devolvem a mobilidade aos cães e aos gatos. Porém, é preciso avaliar se ele pode utilizar o utensílio. Dependendo do motivo, os animais que perderam a mobilidade por processos degenerativos ou inflamatórios não possuem indicação. Converse com um veterinário de sua confiança. 

Existem também tratamentos como fisioterapia, acupuntura e terapias alternativas que promovem a saúde e o bem-estar dos animais deficientes. Em alguns casos, o sucesso do tratamento faz com que eles recuperem a mobilidade e voltem a andar.  

Obesidade e Velhice – Animais obesos e idosos também apresentam problemas de saúde que comprometem a sua mobilidade e o desempenho de atividades. Nestes casos, a natação e a fisioterapia são indicadas, além das terapias alternativas já citadas acima. Converse com um médico veterinário e solicite uma avaliação médica do animal para definir o melhor tratamento. 

Se você possui um pet que desenvolveu uma necessidade especial ou está pensando em adotar, saiba que eles são extremamente amorosos, gratos e possuem ótima capacidade de adaptação. 

As fotos que serão apreciadas nessa matéria, são da Expo Pets Especiais do renomado fotógrafo de pets @LIONELFALCON. 

Confira!!

WhatsApp Image 2022-10-13 at 17.34.31 (2)WhatsApp Image 2022-10-13 at 17.34.31 (1)WhatsApp Image 2022-10-13 at 17.34.31WhatsApp Image 2022-10-13 at 17.34.32

Tagged

Primavera – Saiba o cuidado com os pets.

Com o início da estação mais florida do ano, é importante se atentar a alguns cuidados para aproveitar ao máximo essa época tão especial.

cão e flores pet_na_primavera_widexl-600x400

Quando essa estação chega, as flores voltam a colorir as paisagens, as temperaturas sobem, e nós adoramos passar um tempo ao ar livre na companhia dos nossos pets.

Mas antes de levar seu pet para passear, é preciso tomar alguns cuidados extras para garantir a saúde e o bem-estar do seu cachorro ou gato durante a primavera.
A seguir, você vai conferir os principais riscos à saúde dos pets e os 5 cuidados essenciais durante essa época do ano.

1 – Pulgas e carrapatos

Com a chegada da chuva e do calor, típicos da primavera, as pulgas e os carrapatos se proliferam e é preciso redobrar os cuidados que já existiam nas demais estações do ano.

Quando os cães ou gatos entram em contato com outros pets ou quando passeiam por diferentes ambientes, principalmente, pela grama, eles estão suscetíveis a parasitas como pulgas e carrapatos, por isso, a prevenção é muito importante.

Manter o antipulgas e carrapatos em dia é essencial para garantir a saúde e o bem-estar do seu pet. Além disso, é importante garantir a vacinação e o vermífugo para complementar a segurança.

2 – Flores e plantas tóxicas

Sabemos que a primavera é a época mais florida do ano e, por mais que essa estação deixe as paisagens ainda mais bonitas, algumas flores e plantas podem ser perigosas para os pets.
Alguns exemplos de flores e plantas tóxicas são: Azaleia, Costela-de-adão, Espada de São Jorge, Copo de Leite, Bico-de-papagaio (poinsétia), Comigo-ninguém-pode, Hortênsia, Lírio, Tulipa, dentre outras.
Ao ingerir flores ou plantas tóxicas, os principais sintomas são: diarreia, vômito, tremores, irritações na pele, dificuldade para respirar, fraqueza, produção excessiva de saliva e, em casos graves, problemas motores e cardíacos.

Lembrando que, caso o pet ingira uma flor ou planta tóxica, ele não apresentará, necessariamente, todos os sintomas citados acima. Por isso, ao notar qualquer alteração no comportamento do seu cão ou gato, leve-o para um Médico Veterinário.

3 – Horários dos passeios

Quando a primavera chega, a temperatura aumenta e é preciso rever a rotina de passeios dos pets.
Segundo especialistas, os períodos ideais são antes das 10h e depois das 18h, quando a temperatura do chão está amena.

Lembre-se de sempre checar a temperatura do chão antes de sair para garantir que não irá queimar as patinhas dos pets, que são muito sensíveis. Além disso, leve uma garrafinha com água para manter o pet hidratado e refrescado durante todo o passeio, evitando que ele passe mal devido ao calor.

4 – Banho e tosa

Com o calor típico da primavera, o ideal é manter a tosa do seu pet em dia para ajudá-lo a se sentir mais confortável, até mesmo nos dias mais quentes.
Além disso, se você der banho no seu pet em casa, escolha um dia sem chuva e com baixa umidade para que os pelos sequem com facilidade, diminuindo os riscos de problemas de saúde como gripes, pneumonias e até proliferação de fungos.

5 – Leishmaniose e Leptospirose

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é líder nos casos de Leishmaniose no continente americano. E, com a chegada das altas temperaturas que acompanham a primavera, a propagação da doença aumenta devido a proliferação do mosquito-palha, o transmissor da Leishmaniose.

O inseto infectado pode picar os cães, causando inúmeros riscos para a saúde deles. Para garantir a prevenção, é indicada a vacina, o uso da coleira que libera um princípio ativo chamado deltametrina, manter o ambiente limpo e com tela para manter os mosquitos afastados.

Já a Leptospirose se torna mais comum na primavera, devido a combinação de calor e chuva. Ela é transmitida aos pets através do contato com a urina de animais (principalmente ratos) infectada.
Lembrando que a Leptospirose é considerada uma zoonose, ou seja, ela pode ser transmitida do humano para os pets e vice-versa, por isso, é importante ter todos os cuidados para se proteger dessa doença em todas as épocas do ano, principalmente, na primavera e no verão.
Apesar de ser perigosa, essa doença é fácil de ser evitada. Para se prevenir, é essencial manter a vacinação dos pets contra a Leptospirose em dia. Além disso, é importante manter o ambiente sempre limpo para evitar o acúmulo de sujeiras e entulhos que atraem ratos. Agora que você já conhece todos os cuidados com os pets durante a primavera, fica muito mais fácil aproveitar tudo o que essa bela estação pode nos proporcionar. Até a próxima!

 

Tagged , , ,

Doenca de 1908, leishmaniose visceral é registrada em Sorocaba

Mulher de 54 anos é acometida pela leishmaniose visceral em Sorocaba

leishmaniose visceral-SorocabaFerida leishmaniose causada por picada de mosquito protozoário da doença

A cidade de Sorocaba, interior de São Paulo, registrou nesta terça-feira (06), um caso raro de leishmaniose visceral.

Segundo a Vigilância Epidemiológica de Sorocaba, a paciente é uma mulher de 54 anos, que pegou a doença na cidade.

No entanto, o setor de saúde de Sorocaba prestou atendimento inicial à paciente, e ela segue em tratamento. Porém o caso já deixou o setor de saúde de Sorocaba  está em alerta, para descobrir como ela contraiu a leishmaniose.

O que é a Leishmaniose Visceral?

Primeiramente, a Leishmaniose Visceral é causada por um protozoário, chamado de Leishmania chagasi.

Assim como a leishmaniose comum, as pessoas se infectam com a doença após a picada do mosquito palha. Contudo, o mosquito palha também pode infectar cachorros, que por sua vez espalham a doença para os seres humanos.

Sobretudo, os principais sintomas são:

  • Febre alta;
  • Inchaço no fígado e no baço;
  • Dores musculares.

Já para os cachorros, a leishmaniose visceral causa:

  • Emagrecimento;
  • Ferida na pele;
  • Perda de pelo;
  • Crescimento anormal das unhas;
  • Inchaço;
  • Sangramento nasal.

Por fim, para evitar pegar a leishmaniose, o setor de saúde de Sorocaba orienta que os cuidados são os mesmos da Dengue ou Febre Amarela, por exemplo:

  • Usar repelente;
  • Não deixar água parada em recipientes;
  • Proteger janelas com telas contra entrada de mosquitos.

Por fim, os médicos recomendam que as Prefeituras cuidem da situação de cães sem dono, que andam nas ruas sem cuidados.

Link da matéria

https://www.correiodointerior.com.br/doenca-de-1908-leishmaniose-visceral-e-registrada-em-sorocaba/

Cães e Gatos foram adotados no Museu e prevenidos da leishmaniose.

 
Aconteceu no dia 28 de Agosto, o evento de Adoção realizado pela Subprefeitura e a OAB do Ipiranga e o Projeto Pacotinho de Amor com o apoio da Vet Popular SP e a campanha Diga Não à Leishmaniose.
Sucesso total numa tarde ensolarada, onde mais de 400 pessoas circularam pelo evento.
No total foram 4 cães e 2 gatos adotados. Todos os participantes foram informados sobre a leishmaniose e os cães adotados, foram encoleirados com a coleira scalibor, da MSD Saúde Animal.
Importante informar, que infelizmente não houve a doação de sangue da SANIMVET no local, por falta de cadastro, mas a nossa coluna funcionou sim, 2 lindos e forte cães apareceram para fazer a doação. Já informamos quando faremos o próximo evento com doação de sangue, que será no final de Outubro, também no bairro do Ipiranga. Confira Fotos no Instagram @diganaoaleishmaniose